Buscar

Mesmo fora do Festival, Teatro Guaíra mantém espetáculo de abertura


O show “Bethânia e as palavras”, será a única atração do Teatro Guaíra (fechado para convidados), na 25ª edição do Festival de Curitiba. O impasse ocorreu após divergências no sistema de cobrança de ingressos e os oito espetáculos programados para o Guairão e Guairinha foram transferidos.

Why The Horse”, com Maria Alice Vergueiro, o uruguaio Tebas Land, e o solo do ator Matheus Nachtergaele, “Processo de Conscerto do Desejo”, antes previstos para exibição no Guairinha, foram transferidos para o Teatro da Reitoria. Os musicais “O Beijo no Asfalto” e “Urinal, O Musical”, bem como as comédias “Portátil”, do Porta dos Fundos, e “Morte Acidental de um Anarquista”, com Dan Stulbach, que seriam apresentados no Guairão, foram realocados na Ópera de Arame.

"Delegar o serviço de venda de ingressos a um terceiro que não tem comprometimento com a manifestação artística, não possui vínculos com o espetáculo apresentado, que é indiferente em relação à importância da arte e da cultura prejudica e, em casos como o que vemos agora, até inviabiliza a atividade econômica atrelada às artes e, no caso, ao Festival", explicou o diretor do Festival, Leandro Knopfholz.

Sobre o espetáculo de abertura, trata-se de um projeto diferente, para quem está acostumado a ver Maria Bethânia solta e dançando pelo palco em seus shows. Aqui, ela aparece descalça, vestida de maneira discreta e acompanhada por violão e percussão. Segundo descreve a Revista Rolling Stone, são cerca de 70 minutos de interlúdios musicais e viscerais interpretações com textos de Guimarães Rosa, Manuel Bandeira, Cecília Meireles, Ramos Rosa, Sophia de Mello Breyner Andersen, o moçambicano José Craveirinha, Padre Antonio Vieira, Caetano Veloso, Fausto Fawcet e Ferreira Gullar.

A foto de divulgação é de João Milet Meirelles.

“La Cena”, no Guairinha, também é mantido

Estreia nacional, a montagem é uma criação inédita para o G2 – Cia. de Dança do Teatro Guaíra, com ingressos à venda pelas bilheterias do Festival e no site do evento (www.festivaldecuritiba.com.br).

Com texto e direção de Cleide Piasecki, o espetáculo foi criado para o G2, Cia de Dança do Teatro Guaíra e foi inspirado em contos e personagens de E. T. A. Hoffmann (“QuebraNozes & Camundongo Rei”); Neil Gaiman (“Sandman”) e nos Ballets Russes (1909 a 1929) de Serguei Diaguilev, companhia que influenciou o balé contemporâneo.

Com doses de humor e ironia, o espetáculo conta a história de um grupo de empregados contratados para trabalhar na mansão do Sr. Stahlbaum durante os preparativos das festas de fim de ano. Após alguns acidentes na cozinha, um choque de uma enguia e um raio que atinge a todos, eles mergulham em um sono profundo que desperta seus desejos mais secretos e inconfessáveis pesadelos.

As apresentações serão nos dias 25 e 26 de março, às 21h.


3 visualizações