Buscar

Oficina de música medieval movimenta Caixa Cultural de Curitiba. Vagas são gratuitas, porém limitada


A partir da próxima semana, uma atividade diferente e muito interessante será realizada em Curitiba. É a Oficina de Música Medieval, que será realizada na Caixa Cultural (Rua Conselheiro Laurindo, 280), com a curadoria do Illvminata, grupo de pesquisa e performance em música antiga. A programação inclui bate-papo sobre o contexto histórico cultural, performances, concertos e práticas musicais.

As atividades serão realizadas de 27 de março a 2 de abril e destinada àqueles que tenham alguma vivência musical e curiosidade pela música antiga. As inscrições são gratuitas e devem ser feitas pelo e-mail gentearteira.pr@caixa.gov.br . As vagas são limitadas. A diretora artística do grupo, Daniele Oliveira, explica que a Oficina é uma experiência no universo da música antiga. As atividades serão desenvolvidas numa ambientação especial, com cenário, iluminação, telas e figurinos em meio à sonoridade da música. “É gostoso ouvir música antiga, fechar os olhos e se imaginar num castelo. Mas é muito mais legal você olhar para a frente e ver uma performance totalmente embasada, na qual as pessoas saibam o que estão fazendo, o que estão vestindo. A nossa pesquisa vem da performance. O que é esse texto, de onde vem, quem fez, onde vivia, em que ano, o que estava acontecendo, como chamava aquele local, que idioma se falava, que roupa vestiam e assim por diante”, diz a diretora.

“Nós entendemos que executar a performance da música medieval vai além de ler as notas ou reproduzir a música. É necessário o contexto histórico, a ambientação, o figurino”, explica Letícia Burtet, coordenadora do Illvminata. Ela conta que o público que assiste as performances gosta da música medieval pela simplicidade e pela natureza da música, que é bem palatável, pensada no ouvido contemporâneo. “Alguns até têm um estranhamento no início. No fim da exibição, dizem que o som é familiar, dizem que não sabiam que gostavam de música medieval”, conta Letícia. Além dos integrantes do Illvminata, a programação tem a participação de Carlos Simas, membro do grupo de pesquisa e performance Gaiteiro de Lume. Para promover uma reflexão diferente e explorar a riqueza musical do gênero, a programação inclui uma palestra musical sobre os povos do Oriente Médio e norte da África com a finalidade de mostrar o que acontecia noutros territórios, além da Europa Medieval. Outro destaque fica por conta dos variados modelos de gaita, que serão apresentados por Luis Fitzpatrick e Carlos Simas.

#músicaantiga

0 visualização