Buscar

Espetáculo da Fala Companhia de Teatro tem última apresentação neste sábado (30)


A convivência com índios Kaingang e Guaranis, dos integrantes da Fala Companhia de Teatro, de Curitiba, resultou num trabalho inédito sobre histórias e desafios reais das comunidades indígenas que vivem no Paraná. Os atores Diego Marchioro, Eduardo Ramos, Patrick Belém e Richard Rebelo, acompanhados do diretor e dramaturgo Don Correa e do músico e compositor Paul Wegmann foram recebidos na Aldeia Tupã Nhe'e Kretã, localizada na divisa dos municípios de São José dos Pinhais e Morretes (PR), para uma experiência de imersão. A ideia era apenas estar junto, conviver, presenciar o dia-a-dia, aprender sobre os costumes da comunidade e foram esses momentos compartilhados que inspiraram o trabalho.

Sem máscaras ou personagens, os atores contam suas próprias histórias, de onde vieram, usam, inclusive, seus nomes verdadeiros e convidam o espectador a partilhar as suas histórias também. Músicas, danças e brincadeiras com elementos indígenas promovem a interação e o vínculo com a plateia.

"Nós Outros" busca suspender os discursos, valorizar a escuta e perceber o contraste entre o eu e o outro com todas as diferenças e semelhanças. Leva o tema da alteridade para o palco e convida a todos a colocarem-se na posição do outro. Celebrar tanto a cultura quanto cada indivíduo é o foco da peça.

Sem apelo panfletário a peça espelha com delicadeza o ambiente sutil das aldeias indígenas pesquisadas e ao retratar o diverso como elo em comum entre cada indivíduo, levanta questões como o racismo, o preconceito, a empatia e o afeto.

Assista abaixo ao documentário sobre o trabalho de pesquisa e elaboração da peça:

A peça tem sua última apresentação neste sábado, dia 30 de março, às 15h, na sede da Companhia Brasileira de Teatro (Rua José Bonifácio, 135 – sala 01, Largo da Ordem). A entrada é gratuita e a classificação etária é de 14 anos.

“A proposta desse espetáculo é buscar uma real interação com quem nos apresenta diferentes visões de mundo. E a etnia indígena exemplifica isso de forma bem radical. Precisamos, antes de tudo, sentar e conviver. Comer juntos, ouvir, calar-se. A nossa postura nas imersões com estes povos indígenas foi de apenas estar com eles e fazer o que eles nos propunham e é essa experiência que trazemos para o palco e queremos dividir”, conta o diretor e dramaturgo Don Correa.

O diretor destaca que o processo deste trabalho contou com a colaboração do Cacique Kretã Kaingang e Andreia Fernandes, ambos ativistas do movimento indígena nacional, de Florêncio Rékág Fernandes, mestre em Educação e diretor da Escola Estadual Indígena Emília Jera Poty (Morretes/PR), além dos antropólogos Paulo Homem de Góes e Cauê Krüger.

FOTOS: Bem-te-vi Produções

Nós Outros é um experimento feito de perguntas: O que você quer?, Como chegamos até aqui?, Você já viu um homem sangrar?. Não nos fornece respostas. Busca atingir a percepção, a sensibilidade do público-interlocutor deslocando seu pertencimento, modificando as posições de enunciação. Quiçá essas alterações que a peça sugere tenham por efeito fomentar a empatia. Que nos coloquemos na posição de outros. Esse é seu mérito e esse é nosso desafio”, declara o etnólogo Paulo Homem de Góes.

A peça já vale pela urgência em tematizar a alteridade, transformando uma categoria complexa e abstrata em exercícios cênicos sensíveis, empáticos e reflexivos. A isso se acresce a coragem dos artistas em se permitirem afetar, de múltiplas formas, pela drástica condição indígena no Brasil. O resultado, alicerçado na dramaturgia contemporânea, é um cativante exercício cênico real-ficcional que promove, por meio de identificações e estranhamentos, a oportunidade, cada vez mais rara no mundo atual, de se colocar no lugar do outro”, relata o antropólogo Cauê Krüger.

Em 2018, o espetáculo passou por 30 cidades do interior do Paraná, realizando apresentações gratuitas em todas as macrorregiões do estado, percorrendo cerca de 4 mil quilômetros.

Em março o projeto terá continuidade em Curitiba com sessões fechadas, onde serão realizadas 24 apresentações e oito oficinas de teatro para público estimado em mais de 2 mil pessoas. As apresentações serão realizadas gratuitamente em escolas públicas municipais, estaduais e em espaços culturais da capital paranaense para público dirigido.

Projeto realizado com o apoio do Programa de Apoio e Incentivo à Cultura – Fundação Cultural de Curitiba e Prefeitura Municipal de Curitiba. Incentivo: Ebanx e Universidade Positivo.

Sobre a Companhia

Fundada pelo diretor e dramaturgo Don Correa e o ator Brian Townes, a FALA Companhia de Teatro é sediada em Curitiba desde 2012. A companhia investiga a concepção de novas dramaturgias, e formas do público se relacionar diretamente com as obras. Dentre os trabalhos da companhia destacam-se os espetáculos: Parido (2012), Zero (2013), Gafanhoto (2013), Tutorial (2017), e Nós Outros (2018).

Ficha Técnica

Direção e dramaturgia: Don Correa

Elenco: Diego Marchioro, Eduardo Ramos, Patrick Belem, Richard Rebelo

Composição musical: Paul Wegmann

Direção de produção: Michele Menezes

Produção Executiva: Gabriela Berbert

Cenário e Arte gráfica: Pablito Kucarz

Artista plástico: Max Carlesso

Figurinos: Fabianna Pescara e Renata Skrobot

Consultoria em antropologia: Paulo Homem de Góes

Assessoria de Imprensa: Glaucia Domingos​

Redes Sociais: Cleydson Nascimento

Produção: Pró Cult

Realização: FALA Companhia de Teatro

#teatronovelascuritibanas #novelascuritibanas #Kaingang #Guaranis #índios #NósOutros #CompanhiaFala #FalaCompanhiadeTeatro #BemteviProduções #PauloHomemdeGóes #CauêKrüger #ProgramadeApoioeIncentivoàCulturaFundação #PrefeituraMunicipaldeCuritiba #UniversidadePositivo #TeatroEBANXReginaVogue #EBANX #BrianTownes

0 visualização