Buscar

3ª edição do Festival Maçãs apresenta Sessions individuais com quatro cantoras

O evento intitulado “A colheita 2021” tem como objetivo fortalecer e ampliar a rede de produções artísticas feitas por mulheres da periferia, com apresentações musicais em vídeos divulgados no canal do Youtube do festival.

Maria Pérola | Foto: Damares Galvez

Começa no dia 17 de julho e vai até setembro a 3ª Edição do Festival Maçãs, evento que nesse ano leva o nome de “A Colheita”. A programação é toda gratuita e online, com o objetivo de fomentar, promover, incentivar e fortalecer artistas mulheres da periferia de São Paulo.


O evento será dividido em duas fases com apresentações das cantoras Luana Bayô, Thais Lim, Nisá e Maria Pérola, em quatro Sessions, lançadas uma por semana no canal do YouTube do festival. No encerramento acontece uma live com show de seis artistas periféricas: Nayra Lays, Bia Doxum, Carolina Maria, Obinrin Trio, Pé de Manacá e uma convidada surpresa.

As quatro cantoras que participam das Sessions possuem estilos diferentes, mas todas trazem uma sonoridade potente com canções que protestam e retratam suas realidades, além de exaltar a força da mulher guerreira que luta pelos seus objetivos.


Maria Pérola, mesmo muito jovem, se destaca no cenário alternativo da música, com uma MPB suave e agradável, já ganhou o Prêmio Suburbano Convicto 2019 com a canção “Música Popular Periférica” de sua autoria. Foi finalista do Festival Nacional da Canção em 2020 com outra música autoral.

Luana Bayô | Foto: Damares Galvez

Luana Bayô é uma cantora de vários estilos, transitando pelo samba, world music e samba-rock, já integrou os grupos Cia. Treme Treme, Bloco Afro Afirmativo Ilu Inã e hoje é diretora musical do Samba-Sarau Massembas de Ialodês. Thaís Lim e Nisá são as mais jovens do festival, e nos apresentam muita força e segurança com um potencial musical enorme, transitando pelo rap, MPB e xote.

O festival fez um mapeamento com mais de 60 artistas femininas de diversos estados do país e convidou quatro cantoras para gravarem duas músicas autorais cada, para as Sessions, na ONG Comunidade Cidadã, localizada na zona sul de São Paulo. O esquenta sobre cada artista pode ser conferido em postagens diárias nas redes sociais do festival.


Nisá | Foto: Damares Galvez
“Ficamos muito contentes e surpresas com o número de artistas que se interessaram pelo projeto. Isso só reforça o quanto artistas independentes buscam por espaços que tragam visibilidade e reconheçam o seu trabalho. Isso superou nossas expectativas”, conta Thamara Lage, diretora geral do evento.

Por conta da pandemia, a organização enfrentou o desafio de adaptar e transferir as atrações para o meio virtual, o que acabou se tornando uma grande oportunidade de expandir o alcance do evento, como conta Juliana Viana, produtora executiva do festival.


Thaís Lim | Foto: Damares Galvez
“Tínhamos pensado em realizar uma feira com mulheres empreendedoras do bairro do Grajaú, e de repente nos vimos em um grande desafio de mudar completamente, alterar cronogramas e adaptar as apresentações. Ao mesmo tempo que foi trabalhoso, está sendo muito gratificante ver o empenho de todos para o festival dar certo".

O projeto foi contemplado pelo Programa para a Valorização de Iniciativas Culturais (VAI) da Secretaria de Cultura de São Paulo e parceria com os espaços Sesc Interlagos e Ong Comunidade Cidadã. As gravações poderão ser conferidas a partir do dia 17 de julho no canal do YouTube do Festival Maçãs.


Confira a programação:


17 de julho - Luana Bayô – Horário: 19h

Cantora de vários estilos, transita pelo samba, world music e samba-rock. Integrou os grupos Cia. Treme Treme, Bloco Afro Afirmativo Ilu Inã e hoje é diretora musical do Samba-Sarau Massembas de Ialodês

24 de julho - Thais Lim (Rap) – Horário: 19h

Artista, poetisa e escritora começou a compor músicas em 2012, mas somente em 2018 tomou coragem e passou a cantar, compartilhar sua arte e seu rap com o público. Lançou um EP.

31 de julho – Nisá (MPB e Xote) – Horário: 19h

Cantora e compositora de apenas 19 anos de idade apresenta uma mistura de estilos em suas canções que vão da MPB, Samba, Soup e Pop. Integrou o grupo Trio Café em 2017.

07 de agosto - Maria Pérola (MPB) – Horário: 19h

No ano passado foi finalistas do Festival Nacional da Canção com uma música autoral. Em 2019 ganhou o Prêmio Suburbano Convicto 2019 com a canção “Música Popular Periférica” de sua autoria. A artista é um dos destaques do cenário alternativo com MPB.

Saiba mais:

Facebook – https://www.facebook.com/festivalmacas/

Instagram - @festivalmacas

YouTube – https://www.youtube.com/channel/UCJ_q3nT2CbqVBg6S2F2hC6A

As informações são da CHPress Comunicação e Estratégia, de Cássia Cunha e

Hugo Dourado

30 visualizações