Buscar

Com direção de Gabriel Villela, espetáculo sobre Henrique IV estreia em novembro

A peça Henrique IV, de Luigi Pirandello, é um ensaio sobre lucidez e loucura, considerada uma obra-prima do dramaturgo italiano comparável a “Seis Personagens à Procura de um Autor”.

"Proto - Henrique IV" | Foto: João Caldas

"Proto - Henrique IV", obra-prima sobre lucidez e loucura, de Luigi Pirandello, com produção, tradução e adaptação de Cláudio Fontana, estreia dia 5 de novembro no formato online, transmitida ao vivo da sala Dina Sfat do Teatro Ruth Escobar.


Nan peça está uma das características mais marcantes do escritor – a vulnerabilidade de seus personagens, que vivem na fronteira que separa ficção da realidade e loucura da sanidade, devido ao jogo de máscaras – está em um ponto de grande aprofundamento.


Na dramaturgia original, Pirandello criou treze personagens para serem executados por diversos atores. Esta adaptação sintetizou o texto em dois personagens feitos por um ator, Matilde e Henrique IV, preservando o cerne da dramaturgia.

Chico Carvalho transita entre as duas figuras, sendo que Matilde traz falas de outros personagens da peça original. Acompanhando Chico em cena, Breno Manfredini faz as vezes de um contrarregra/camareiro cênico, compondo o quadro de espelhamento disforme do protagonista, que toma distância da própria existência e vê a si mesmo ridicularizado pelo olhar de quem o vê.


Na trama, depois de descobrir que Matilde, a mulher que ele ama, tem um caso com seu melhor amigo Belcredi, o protagonista cai de um cavalo e sofre um acidente, supostamente provocado pelo próprio Belcredi. Como bate a cabeça numa pedra, ele perde os sentidos da realidade, enlouquece e, estando a caminho de uma festa à fantasia, por isso caracterizado como o rei Henrique IV, da Alemanha, o nobre passa a acreditar que é o próprio rei. Vendo-se incapaz de curá-lo e com pena de seu estado, a irmã constrói uma réplica da corte de Henrique IV para que seu irmão possa viver nela, contratando atores para se fazerem passar por cortesãos.


Passado algum tempo, o nobre recupera a memória, mas continua a se fazer passar por louco ao perceber que não tem uma vida de verdade para a qual possa voltar. Sua farsa é descoberta no dia em que Matilde e Belcredi chegam à falsa corte para tentar curá-lo. Segue-se uma discussão violenta entre os três, durante a qual Henrique IV fere Belcredi mortalmente e se vê obrigado a refugiar-se de novo na loucura para escapar às consequências desse crime.


Como em quase toda a sua obra, Pirandello trabalha de forma brilhante a tensão entre realidade e fantasia, deixando implícita a impossibilidade do estabelecimento de uma verdade absoluta. No fundo, sustenta que as coisas não são o que parecem ser, também reafirmando sua convicção de que a arte é muito mais real do que a vida, posto que eternizada em uma forma enquanto o homem em si é perecível.


Serviço

PROTO-HENRIQUE IV, de Luigi Pirandello, drama.

Em Henrique IV, Pirandello explora os limites entre a loucura e a lucidez a partir da estória de um homem que, após uma queda do cavalo e uma pancada na cabeça, vive (ou finge viver) o personagem que representava no carnaval numa festa a fantasia.

Duração: 60min.

Ingressos gratuitos estarão disponíveis na plataforma Sympla.

link: https://www.sympla.com.br/produtor/protohenriqueiv

Temporada: 05 de novembro a 05 de dezembro, sextas a domingos às 20h

Classificação: 12 anos.


Informações: Helô Cintra Castilho | Pombo Correio Assessoria de Imprensa

6 visualizações

Posts recentes

Ver tudo