top of page
Buscar

Com recorde de vendas, Festival de Curitiba começa nesta segunda, 27 de março

Atriz Marisa Orth vai apresentar a cerimônia de abertura, no palco do Guairão. Logo depois, a peça internacional "Hamlet" inaugura a programação.

Marisa Orth será a Mestre de Cerimônias no Festival de Curitiba

Faltam apenas três dias para o início da 31ª edição do Festival de Curitiba, e a cidade se prepara para mais um mergulho no que o teatro mundial pode oferecer de melhor. Na noite desta segunda-feira, 27 de março, a atriz Marisa Orth comandará a cerimônia de abertura, no Guairão. Logo depois, o palco do maior teatro de Curitiba recebe uma montagem histórica: a versão de “Hamlet” da companhia peruana Teatro La Plaza, que coloca em cena um elenco formado por atores com Síndrome de Down. O evento mais esperado da cidade terá 13 dias de apresentações. Até 9 de abril, 350 atrações vão espalhar arte e cultura por 60 espaços não só de Curitiba, mas também da região metropolitana. Além de teatros, praças, ruas, bares e jardins também serão transformados em palcos. Eles receberão espetáculos consagrados, estreias nacionais e internacionais, performances, shows de música, dança e humor, oficinas e eventos de gastronomia. Para levantar essa estrutura e deixar tudo pronto, mais de duas mil pessoas trabalham com afinco. A resposta do público não poderia ser melhor. Nada menos do que 18 sessões da Mostra Lucia Camargo, principal vitrine do Festival, já estão com ingressos esgotados. Um recorde que supera até mesmo a edição ao ano passado, quando o Festival completou 30 anos – e que foi marcada ainda pelo retorno do evento após os anos de pandemia. Programação Para a edição de 2023, o trio de curadores da Mostra Lucia Camargo – Daniele Sampaio, Giovana Soar e Patrick Pessoa – escolheu 32 espetáculos, que representam toda a pluralidade de produção teatral contemporânea. A programação conta com grandes nomes do teatro nacional. A atriz Vera Holtz está em “Ficções”, monólogo dirigido por Rodrigo Portela, e os atores Marcos Caruso e Eliane Giardini compõem o elenco de “Intimidade Indecente”. “Gaslight – Uma Relação Tóxica” é o último trabalho dirigido por Jô Soares.

Último espetáculo dirigido por Jô Soares em vida, também estará no Festival | Foto: Priscila Prade

O teatro paranaense segue muito bem representado, com quatro estreias na grade: “Sobrevivente”, um solo da atriz Nena Inoue, vencedora do Prêmio Shell; “O Tempo e a Sala”, coprodução do Festival de Curitiba, que marca o retorno da atriz Simone Spoladore ao teatro; “Ovos Não Têm Janela”, com texto Manoel Carlos Karam e a estreia na direção do renomado iluminador Beto Bruel; e “Sonho de Uma Noite de Verão”, a versão de Maurício Vogue para um clássico de Shakespeare. E que tal de repente se ver dentro de uma peça, ao cruzar uma praça? É o que vai acontecer com quem estiver passando pela Santos Andrade no debute de “Square/Praça”, da companhia holandesa Wunderbaum, um espetáculo gratuito que é uma verdadeira experiência sensorial ao ar livre. Após três anos, a edição de 2023 ainda celebra a volta do Fringe, a mostra aberta, sem o crivo da curadoria, que vai encorpar o Festival com mais de 280 espetáculos produzidos por 1.800 artistas e técnicos de 12 estados do Brasil. Para ver a programação completa do Festival de Curitiba, acesse o Guia Oficial.

Informações: Maximilian Santos

8 visualizações

Comments


bottom of page