Buscar

Construção de bonecos gigantes em Curitiba é contada em livro

Lançamento será no próximo dia 19 de setembro, sábado, às 17h, no Instagram @lugardegigantes.|

Bonecos gigantes com mais de três metros de altura foram construídos em escolas públicas de Curitiba em 2019 (Foto: Miriane Figueira)

O processo de criação de bonecos gigantes com mais de três metros de altura em Curitiba é contado em detalhes em um livro que será lançado em uma live no próximo sábado, 19 de setembro de 2020. A transmissão terá a participação de convidados que participaram ativamente do processo e a mediação de Alessandra Flores, autora do livro e idealizadora do projeto Lugar de Gigantes. Além de autora, ela também é organizadora da publicação ao lado de Cândida Monte e Eduardo Simões. As fotos são de Miriane Figueira e a arte gráfica da designer Adriana Alegria.

Os personagens foram construídos no ano passado a partir de histórias de vida de moradores dos bairros Bracatinga e Bairro Alto. Uma agricultora estudante. Uma mulher indígena. Depois de criadas elas desfilaram em cortejos nas regiões onde nasceram e também participaram do “Encontro de Gigantes” no Largo da Ordem.


O livro reúne fotos, relatos e registros de todas as etapas do processo criativo desenvolvido com estudantes de escolas públicas da capital paranaense. A publicação será distribuída gratuitamente para bibliotecas de escolas e de centros culturais.

Em Curitiba, o projeto é realizado através do Programa de Apoio e Incentivo à Cultura, da Fundação Cultural de Curitiba e da Prefeitura Municipal de Curitiba. E tem o incentivo das empresas Celepar, Pinho Internacional e Porto Camargo Engenharia.

O processo de criação dos GigAntes

Primeiro são ouvidas histórias do bairro, das pessoas que vivem ali, lendas e mitos da região. Depois cada um desenha as imagens mais marcantes desses “causos” locais. Com isso, os personagens nascem de uma criação coletiva e com seus traços contam histórias daquela região. 

É um ser composto por diferentes partes dos desenhos, de modo que não haja nenhuma competição e sim, que surja um criatura que de fato represente a todos. Segundo Alessandra Flores, coordenadora do projeto “todo o processo é realizado coletivamente, os participantes são os criadores e construtores de suas próprias criaturas, gigantes de seu próprio lugar”.

A matéria-prima utilizada é o vime, muito comum na construção de móveis, Depois de pronta, a estrutura recebe uma camada de papel de seda, cores, adereços e figurinos. Os bonecos são extremamente leves e, por isto, podem ser de fato gigantes!

Sobre o projeto

A construção de bonecos gigantes, segundo a artista, foi um divisor de águas em sua carreira. Desde  1999, à  partir do trabalho com a companhia inglesa Rise Phoenix, de Londres, em regiões de pós-guerra como o Kosovo, Bósnia e Croácia, além de um projeto piloto na índia, a atriz não parou mais de criar coletivamente imensas criaturas. 

Neste locais, a Rise Phoenix cujo lema era “dar voz às crianças” promovia a construção de bonecos gigantes para grandes cortejos, além da apresentação e criação de espetáculos teatrais. No Brasil, esta é a terceira edição do projeto Lugar de GigAntes, as duas primeiras foram realizadas em bairros da cidade de Salvador e cidades do Recôncavo Baiano.

Alessandra realiza uma extensa pesquisa sobre teatro de bonecos, tendo convivido com mestres de tradições em teatro de animação no Brasil (Mamulengo), na Índia (Katputli) e na Tailândia (Baan Naang Thalung). A pesquisa de histórias de vida como material para criação também tem sido uma constante no trabalho e na pesquisa acadêmica da artista.

SERVIÇO

Live de lançamento do livro Lugar de Gigantes

Dia 19 de setembro, sábado, 17h

Pelo perfil do projeto no Instagram: @lugardegigantes

Parceria: Centro de Educação Infantil Professor Lauro Esmanhoto, no Bracatinga; Escola Municipal Araucária, no Bairro Alto; e Banda Escola da Fazenda Rio Grande.

4 visualizações