Buscar

Curitiba Cia da Dança lança nova versão do projeto Cirandas com espetáculos gratuitos

Com enredos das paixões de Villa-Lobos pelo Brasil, companhia de dança promove apresentações no Sesc da Esquina, de 12 a 14 de maio.

Curitiba Cia de Dança | Foto: Cayo Vieira

A Curitiba Cia de Dança em parceria com a AADC - “Amigos e Apoiadores da Dança em Curitiba”, lança uma nova versão do Projeto Cirandas com o espetáculo “Dançando Villa”. O projeto é realizado com recursos do programa de apoio e incentivo à cultura da Fundação Cultural e Prefeitura de Curitiba.


Os espetáculos serão realizados no Sesc da Esquina, com entrada gratuita. As apresentações estão marcadas para os dias 12, 13 e 14 de maio, às 20h30. Após isso, a partir do dia 17 de maio, começa uma temporada voltada para os alunos da rede municipal de ensino. O espetáculo “Dançando Villa” tem o apoio do Festval, Torriton Beauty & Hair, Confronto Street Mall, Vetor Log e Clínica Dr. Adel.

O projeto foi inspirado na vida e obra do compositor brasileiro Heitor Villa-Lobos, baseando-se nas suas célebres cirandas e quarteto de cordas. A produção fala um pouco sobre a cultura popular brasileira, etnias indígenas, companheirismo e uma reflexão sobre a realidade social no país. É uma mistura de elementos que fazem parte da história e daquilo que era referência para Villa-Lobos, em suas composições e viagens pelo Brasil.


Foto: Cayo Vieira

O Projeto Cirandas foi criado em 2017 e apresentado em mais de 30 cidades do oeste do Paraná em parceria com a Orquestra de Cordas do Oeste. Para este ano, algumas mudanças foram feitas e a expectativa é de um espetáculo todo repaginado. Em “Dançando Villa”, as músicas escolhidas para compor as apresentações são diferentes e há outro nome no comando das coreografias.

O público irá contemplar o trabalho da coreógrafa Rosa Antuña, de Minas Gerais. Para Nicole Vanoni, diretora artística da Curitiba Cia da Dança, “ela soube usar a particularidade de cada bailarino, e trouxe um movimento poético com influência das danças brasileiras”. Os figurinos estão sendo criados por Lucas Bettin e a criação da luz é por Fabia Regina.

No enredo, há uma mistura das paixões de Villa-Lobos, que amava as riquezas naturais e culturais do Brasil, e isso trouxe um significado para o elenco na criação do espetáculo. A partir daí, foi incluída a religião Umbanda, com influência dos caboclos e a proteção dos orixás.

“Eu levei os bailarinos e toda a equipe técnica no terreiro do Pai Maneco para jogar OBI e descobrir o Orixá de cabeça, os figurinos vai trazer essa particularidade também das cores dos orixás. Villa adorava um bom charuto”, revela a diretora artística.

Heitor Villa-Lobos Heitor Villa-Lobos nasceu no dia 05 de março de 1887, no Rio de Janeiro. Um dos músicos mais importantes da sua época deixou marcas na história da cultura popular brasileira. Ele foi compositor, maestro, pianista e violinista brasileiro.

O gênio da música sempre se preocupou em compreender o país e suas questões sociais, por isso, realizou uma série de viagens pelo país. Análises que fazem parte da obra deste grande representante do período modernista. Villa-Lobos morreu no dia 17 de novembro de 1959, aos 72 anos.

Baseado neste representante da cultura brasileira, o Projeto Cirandas quer transmitir a importância de Villa-Lobos para a história do Brasil. “Eu espero deixar uma mensagem que o Brasil teve um dos principais compositores do mundo, quero mostrar corpos profissionais sobreviventes depois de 2 anos parados, quero mostrar vitalidade, técnica e poesia”, diz Nicole. Apresentações Os espetáculos contam com a participação de 12 bailarinos em cena, e ainda uma grande equipe técnica que atua no backstage, como a ensaiadora, professora, produtores e iluminadora. Segundo a diretora artística, há bailarinos de todos os cantos do Brasil: Manaus, Aracaju e João Pessoa. A profissional da companhia de dança se preocupou em trazer uma diversidade brasileira para os palcos.

No Sesc da Esquina, dos dias 12 a 14 de maio, às 20h30, a entrada é livre. Toda família poderá acompanhar as apresentações. Os ingressos serão distribuídos 30 minutos antes da abertura do teatro.

Já a partir do dia 17 de maio, os espetáculos serão direcionados, no Teatro Londrina, para os estudantes da rede municipal de ensino. Serão 18 apresentações, com duas sessões por dia, de segunda a sexta-feira. A capacidade é de 144 alunos por espetáculo. No total, serão ofertadas 5.184 vagas para esse projeto.

E depois de dois anos de espera, por causa da pandemia, a expectativa é de casa cheia. A Curitiba Cia de Dança com o espetáculo "Dançando Villa” espera encantar e despertar os melhores sentimentos daqueles que estiverem acompanhando esse espetáculo. A diretora artística Nicole Vanoni promete uma apresentação alegre, dramática, intensa e poética.

Serviço

PROJETO CIRANDA Data: 12, 13 e 14/05 Local: Sesc da Esquina, às 20h30 Entrada gratuita - os ingressos serão distribuídos 30 minutos antes da abertura do teatro.

Informações: Libélula Digital

27 visualizações