Buscar

Honey Bomb Records e Natura Musical lançam coletânea Sons que vêm da Serra


A Honey Bomb Records e a Natura Musical lançaram, neste mês de novembro, a coletânea "Sons que vêm da Serra", em um evento no Sesc em Caxias do Sul - RS, sede do selo responsável pelo projeto.


O material reúne músicas autorais e inéditas de artistas de cidades gaúchas, e as faixas ganharam vídeos, dirigidos por Breno Dallas. O responsável pela curadoria e direção criativa do projeto, Jonas Bender Bustince, também músico e produtor, selecionou os sons que foram captados no estúdio Noise Produtora, em Caxias do Sul, entre junho e agosto deste ano. A produção musical ficou por conta de Francisco Maffei e a engenharia de Som de Carlos Balbinot e Fabrício Zanco.

“O objetivo maior do projeto, como coletânea musical, foi buscar artistas e composições que, de alguma forma, representassem em essência viver nessa região específica do país, neste ano de 2019. Por trás de cada som tem uma história envolvida, vidas entrelaçadas, parcerias, resgates, desabafos. Quis mostrar a pluralidade criativa e humana dessa região através das 10 faixas. Foi um processo difícil, mas também prazeroso, ouvir as quase 70 demos inscritas no edital. Fui surpreendido com a diversidade musical autoral que os artistas da serra vêm produzindo”, comenta o curador Jonas Bustince.

Com projetos solos ou grupos, nomes como Slam das Manas, Gabrre, Maria Rita Stumpf e João Gôsto, Jagunço, Araucana, OLO, Bloco da Ovelha, TeTo, Bardos da Pangeia, e também uma parceria entre a banda local Não Alimente os Animais e o senegalês Mohamed Aw compõem uma lista musicalmente diversa com produções de Caxias do Sul, Bento Gonçalves, São Marcos e Gramado, além de músicos nascidos em outras cidades da região, como São Francisco de Paula, Farroupilha, Antônio Prado e Serafina Corrêa.


“É uma região inevitavelmente inspiradora para a música e para as artes, seja pelas suas características naturais, climáticas, culturais ou econômicas. A natureza pulsante convive com a frieza das indústrias e o perímetro urbano se encontra rapidamente com as colônias, nome que ainda damos para as áreas rurais daqui. Acho que dá pra sentir isso em cada uma das músicas, gente que sabe como é viver aqui, mas que se conecta com o restante do mundo e das suas infinitas linguagens. Levar essa bagagem poética e musical de cada projeto pra dentro do estúdio e registrar isso, convivendo de perto com toda essa gente sensível foi um aprendizado pra vida toda”, completa Jonas. 

Sons que vêm da Serra foi selecionado pelo Natura Musical por meio do edital 2018, com financiamento da Lei de Incentivo à Cultura Pró-Cultura RS por meio da Secretaria de Estado da Cultura e do Governo do Estado do Rio Grande do Sul.


“O Natura Musical foi criado para valorizar a diversidade e identidade da música brasileira, diz Fernanda Paiva, gerente de Marketing Institucional da Natura. “Desde 2014, o edital já ofereceu recursos para 23 projetos no Rio Grande do Sul, como Dingo Bells, CCOMA, Yangos, Musa Híbrida e, agora, com o projeto Sons que Vêm da Serra”, completa.

Dentre os destaques, Sois Cool, é uma parceria do cantor senegalês Mohamed Aw & Não Alimente os Animais, banda formada por cinco músicos que colaboram e acompanham trabalhos de diversos grupos, intérpretes e vocalistas da região, além disso, possuem um álbum e dois singles gravados como banda. Essa vivência cultural distinta colabora para que o projeto fique mais diverso.


Assista:


0 visualização