© 2015 por Lana Seganfredo & Toca Cultural.

Quer jogar poker? Reconheça as 7 diferenças entre o jogador profissional e o recreativo

13.08.2019

Primeiramente, muito cuidado com esse pensamento…

“Ah, não quero ser profissional, só quero jogar melhor ou ter o poker como um hobby lucrativo...”
Para vencer no poker,

você deve 
pensar e agir como

um profissional, 
mesmo que não queira ser um


Você pode tranquilamente continuar sendo um jogador recreativo, levar o poker como um hobby, não há problema nenhum nisso. Mas, independentemente do seu objetivo no poker, se quiser ser lucrativo a sua obrigação é ter a mentalidade de um jogador profissional. 

Por isso, aqui vão as
7 diferenças cruciais entre a forma como um profissional e um amador enxergam o jogo:
 

 

1. Foco na vitória ❌ Foco no divertimento

 

O jogador profissional entende o mundo do poker. Ele entende esse mundo da variância, de renúncias, de estudos, downswing e upswing, de estar preparado 100% para performar ao máximo. Ele tem o foco na vitória!

Já um jogador que trata o poker como hobby não entende nada disso. Ele toma uma bad beat e acha que o poker não é para ele. Ele acha que o poker é bingo, que o site de poker online é roubado, ou que ele é muito azarado. Ele tem o foco apenas no divertimento. 

Ele joga pra blefar um profissional e esfregar na cara dele, ou pra quebrar um AA, paga na broca pra ter uma história pra contar…

O amador até sabe que a jogada certa não é dar aquele call na broca, ou pagar um all-in com 76 naipado, mas ele tá lá pra se divertir, o que ele quer é a adrenalina de ver as cartas dele baterem.

 

 

2. Carreira = Empresa ❌ Não vê como negócio

 

O jogador profissional sabe exatamente que a carreira dele é uma empresa. E ele sabe o que ele deve fazer no dia a dia para ela crescer, os investimentos que precisa fazer, quando dar um passo adiante, quando dar um passo atrás… 

Um profissional é muito mais comprometido com o poker, porque ele quer ter aquela vida para sempre - ou pelo menos por muito tempo. Ele não quer voltar a trabalhar com algo que ele não ama fazer, ou que não traz desafios para ele. 

Um recreativo não liga para nada disso. Ele até quer ser lucrativo, mas ele “quer mais ou menos”, sabe como é? 

Quem quer muito dá um jeito de fazer acontecer. Dá um jeito de as coisas vingarem e corre atrás, faz o impossível para dar certo. Quem quer “mais ou menos” não põe intensidade, não faz grandes renúncias, que são necessárias para as grandes conquistas. 

Ele adora dar desculpa...

“Ah, não vou investir num coaching porque não tenho dinheiro, não tenho tempo, tenho muita coisa pra fazer…”

Mas pra dar buy-in toda semana no torneio do clube e depois engatar num cashzinho pra tentar “buscar o ferro”, aí ele dá um jeito... 

Comprar ficha e dar uns buy-ins mais caros no domingo em busca do big hit, isso ele acha um bom investimento...

3. Investe em si mesmo ❌ Prefere só jogar

 

Um profissional enxerga claramente que ter mentores é o caminho mais fácil. Ele sabe que, em todos os esportes, todo atleta tem o treinador, um técnico, um coach, muitas vezes um staff inteiro de apoio.

Já o jogador recreativo reluta: ele acha que pode vencer sem isso. Acha que vai aprender tudo apenas jogando, na tentativa e erro. 

E só quando tá no fundo do poço, quando já tentou de tudo e não venceu, aí sim ele compra um curso mais barato, e finalmente começa a ver custo-benefício em investir nele mesmo.  

O profissional tem prazer em estudar. Ele tem prazer em ficar horas ali, buscando o melhor jeito de se jogar uma mão, de tomar a decisão mais lucrativa em cada situação. Ele quer estar um pouco melhor a cada dia.

Enquanto isso, o recreativo geralmente não estuda, não sabe como estudar e o pouco tempo que ele investe no poker, ele usa só para jogar.

 

4. 100% responsável ❌ A culpa é dos outros

 

O profissional sabe que não adianta fazer um curso e achar que é suficiente. Ele está em constante aprendizado, ele sabe que o poker é um jogo dinâmico, que muda a todo momento.

Que, para ele se manter vitorioso, ele tem que estar estudando, reinvestindo a todo momento, tanto o seu tempo, como parte dos seus ganhos. Como uma empresa, lembra? 

Já o recreativo muitas vezes faz um curso, continua perdendo e simplesmente repassa a responsabilidade do fracasso ou para o coaching, ou pra alguém da família, ou pro dealer, pro site que é roubado, pra variância, pro azar, enfim... ele dá uma desculpa. 

 

 

5. Bankroll é a sua vida ❌ Não tá nem aí

 

O profissional vê o bankroll como a vida dele. Ele não se importa de dar um passo atrás e voltar a jogar mais barato, ou de correr os riscos necessários para subir de nível, porque ele sabe que é importante ele sair da zona de conforto dele se quiser crescer.  

Ele faz de tudo para não quebrar, porque ele não quer voltar atrás e trabalhar numa outra área. Ele é apaixonado pelo poker, pela carreira dele, então ele faz qualquer coisa para manter a vida que ele conquistou. Por isso, ele também tem muito mais disciplina. 

Já o jogador recreativo, pelo menos a grande maioria dos que eu conheço, simplesmente ignora o bankroll. Ele joga de acordo com a condição financeira dele. Muitos nem se importam em perder, porque a derrota praticamente não faz diferença nas finanças deles.

Ele até quer ser lucrativo, mas nem tanto… 

“Se bater as minhas, bateu. ONE TIME porraaaa!!!”

 

6. Decisões à longo prazo ❌ Foco no momento

 

O profissional busca sempre as decisões lucrativas no longo prazo, as decisões +EV, como a gente chama. As que tem o melhor valor esperado.
Então, ele foca nisso, tanto numa mão de torneio específica, como nas decisões da carreira dele. 

Se ele tiver que ir all-in na bolha blefando, ele vai, porque ele sabe que vai passar por essa situação diversas vezes e, aquela decisão, naquele momento, é lucrativa.

Como ele sabe que vai jogar mais torneios, vai passar por aquela situação muitas e muitas e muitas vezes, ele não se importa se naquele momento der errado, desde que aquela decisão seja realmente a mais lucrativa no longo prazo. 

Ou seja, se ele fizer aquilo 100, 200 vezes, ele vai ganhar dinheiro na grande maioria das vezes. 

Já o jogador recreativo foca apenas no momento: 

“Putz, se eu cair agora é fora do dinheiro, eu joguei tanto tempo pra cair agora?” 

Então, o recreativo não se permite cair blefando. Ou, quando ele cai blefando, ele nem conta para ninguém, ele fica ali, quietinho. Ele omite esse tipo de coisa, e muitas vezes ele tem até vergonha disso! 

 

 

7. Se vê como atleta ❌ Nem sabe que isso importa

 

Um profissional tem a vida muito próxima a de um atleta de alto rendimento. Ele sabe que precisa ter 100% da mente e do físico para jogar o A-Game dele. 

Então, ele investe em uma alimentação melhor, exercícios físicos, consultoria médica, coaching, programação neurolinguística, meditação, personal trainer, enfim... 

Já o jogador recreativo não vê isso como importante. Ele pode até fazer o exercício dele, ou praticar meditação, mas ele não vê isso como importante para melhorar a performance no poker. 

O negócio dele é se divertir, e não tem nada de errado nisso! 

Ele até toma uma cerveja, um whiskinho na hora que tá jogando. Ele trata o poker como hobby, como diversão, e isso é legal, essa é a essência do jogo.

Jogar poker é pra todo mundo, 
mas vencer no poker é pra poucos

Mesmo sem ter pretensão nenhuma de viver do poker, sendo um advogado, empresário, médico, engenheiro, professor etc., é fundamental que você tenha a mentalidade vencedora de um jogador profissional. 



Você precisa SER antes de TER. 



Buscar ter a atitude de um jogador de ponta, mesmo que você ainda esteja longe de ter uma carreira profissional. 

Porque, mesmo que para ter o poker apenas como um hobby lucrativo, você também terá que fazer algumas renúncias, pensar e agir como um profissional. 

E se quiser a minha ajuda para te guiar nessa jornada e transformar a forma como você pensa o jogo, o Decano Poker Strategy é o passo mais seguro que você pode dar comigo. O DPS é o treinamento mais acessível que eu já montei ensinando o meu passo a passo para ser lucrativo no poker. Mas esse convite tem validade somente até sexta-feira (16), às 23h59. Depois disso, você vai ter que esperar mais alguns meses para ter a chance de se inscrever novamente.

 

Participe! Espero você...

Please reload

Posts Destacados

Noturnall, Mike Portnoy e Edu Falaschi tocam juntos no dia 14, no Espaço Cult

11.11.2019

1/10
Please reload

Posts Recentes
Please reload

Escreva seu comentário