Impressões sobre Kill´Em All, do Metallica - o primeiro álbum mais bem sucedido de todos os tempos

Por: Paulo Sérgio de Oliveira Borges
Contato: paulo.o.borges@icloud.com

Por que falar de um álbum lançado em 1983, em pleno 2016? Porque toda vez que o escuto, tenho a mesma reação: ele é muito foda!

É como se o Metallica tivesse recebido dez musicas perfeitas, prontas e acabadas, diretamente do Deus Metal, da mesma forma que Moisés recebeu a tábua contendo os dez mandamentos, das mãos do criador.

 

As palhetadas de guitarra são rápidas perfeitas e os riffs geniais, principalmente para um álbum de lançamento de banda. Nenhuma música é parecida com a outra, e mais da metade do álbum tem condições de disputar o posto de melhor composição.

 

Quem tem o costume de "cantar" as guitarras, perceberá que se trata de um álbum muito bem concebido, do início ao fim. "Hit the lights" começa baixinho e vai aumentando o volume gradativamente, sugerindo uma violência sonora tipo motosserra, que só termina quando "Metal Militia" vai desaparecendo aos poucos, em meio a uma marcha militar.

Não há espaço para monotonia, pois toda música tem um solo estridente e rápido, daqueles que levanta até defunto. Até o vocal adolescente de James Hatfield se enquadra perfeitamente no álbum. Se fosse afinado não combinaria!

 

E não se pode creditar a genialidade desse álbum a um ou outro integrante da banda individualmente, pois nenhum deles conseguiu supera-lo sozinho em trabalhos posteriores. Enfim, não me lembro de outro "primeiro álbum" de banda de metal tão empolgante quanto este.\m/