Buscar

Oswaldo Montenegro em 3X4, no Teatro Positivo


Depois do grande sucesso da última apresentação em Curitiba, em outubro de 2014, com ingressos esgotados, o cantor Oswaldo Montenegro retorna no dia 21 de agosto, no Teatro Positivo, para o show intitulado 3x4. Com produção local da Multi Eventos Promoções, o cantor vai apresentar para os fãs grandes sucessos durante um show alegre, no qual dialogará com o público. Ao fim do espetáculo, será reservado um momento especial, com uma atmosfera “blues”, para a revelação de toda a performance vocal e o talento como instrumentista de Montenegro.

O show é dividido em quatro blocos, sendo que no primeiro o artista canta as músicas mais alegres de sua carreira como compositor, misturadas a trechos de Villa Lobos, Bach, Waldir Azevedo, Patápio Silva e Vivaldi, numa verdadeira festa. No segundo, vê-se um desfile de inúmeros sucessos de Montenegro costurados entre si, como se fossem uma única obra. Um hit se sucede a outro, deixando o espectador sem fôlego. No terceiro, o diálogo com a plateia informaliza o 3x4: o poeta bate papo, atende a pedidos do público e apresenta duas canções inéditas. Já o quarto bloco conta com uma atmosfera do “blues”. O concerto ganha contornos teatrais, com Madalena Salles brincando na gaita, vestida de “blues-man”, e os três virtuoses violões citando “hiffs” clássicos, levando a um fim de extrema descontração e alegria, fazendo com que o público saia do teatro de alma lavada.

O show 3x4, como insinua a fotografia, registra a identidade desse artista único, que não se parece com ninguém, e mostra três faces (não fases) de sua obra, num show de quatro blocos, com três músicos juntando-se a ele para formar uma banda de quatro. E três por quatro é também o compasso de “Bandolins”, a primeira composição que o Brasil conheceu desse cantor-compositor-instrumentista, que, depois de passear pelo cinema e pelo teatro, retorna à música – que é de onde veio e, segundo ele mesmo, onde mais ama estar.

Oswaldo estará unido ao bouzuki e ao bandolim de Sérgio Chiavazzoli. Seu violão costura, com a flauta de Madalena Salles e o "violão-blues” de Alexandre Meu Rei, uma verdadeira teia de complexas e diversas sonoridades. Foram dez horas por dia de ensaio, durante dois meses, que resultaram num show com a excelência de um concerto.


5 visualizações