Buscar

"A brasilidade na fotografia de Pedro a João"


Até o dia 03 de julho, fica em cartaz na Galeria da Caixa Cultural (Rua Conselheiro Laurindo, 280), a exposição "A brasilidade na fotografia de Pedro a João". A mostra de fotos da família imperial reúne imagens desde os tempos de Dom Pedro II. Em destaque, o público confere um registro fotográfico da missa realizada no Campo de São Cristóvão, no Rio de Janeiro, quatro dias depois da assinatura da Lei Áurea. O evento reuniu naquela época 30 mil pessoas, inclusive o escritor Machado de Assis, recentemente identificado na foto, entre outros personagens da História do Brasil.

Inspirada na sensibilidade dos registros fotográficos dos grandes laboratórios do século XIX no Rio de Janeiro e na Europa e com curadoria de José Carlos Simões, a exposição aborda a chegada da fotografia/daguerreótipo ao Brasil, pelas mãos de Louis Compte, em janeiro de 1840, bem como sua apresentação ao então Imperador Dom Pedro II. Este tornou-se um grande entusiasta da fotografia. Ainda aos 14 anos de idade, passou a ser um incentivador da técnica no país, proporcionando sua promoção promovido e difusão no Brasil. Os registros fazem parte da coleção histórica de Dom João de Orléans e Bragança sob a guarda do Instituto Moreira Salles, além de acervo pessoal e algumas peças do Arquivo Nacional.

Uma das fotos mais emblemáticas da exposição é o curioso retrato de Dom Pedro II em que ele aparece duas vezes, frente a frente consigo mesmo. A obra foi realizada por meio de dupla exposição pelo estúdio carioca Carneiro & Gaspar. A imagem comprova a cumplicidade criativa que o ligava aos melhores profissionais de seu tempo. Nenhum outro dirigente da época teria cogitado uma brincadeira desta natureza, ignorando o protocolo e as questões de hierarquia, controle da imagem ou obediência às convenções sociais. Vale lembrar também que é Dom Pedro II o responsável pela primeira selfie do Brasil.

Entre outras imagens que fazem parte da mostra está a foto da Família Imperial na varanda da casa da Princesa Isabel, em Petrópolis, pouco tempo antes de deixar o Brasil rumo ao exílio. Esse teria sido o último retrato antes da instauração da República. Há ainda a Princesa em uma abordagem intimista, tocando piano em sua residência. Um registro feito por Marc Ferrez, por outro lado, mostra uma vista panorâmica do Rio de Janeiro a partir do Mirante Dona Marta, mostrando as enseadas de Flamengo e Botafogo em seus tempos remotos.

A visitação é gratuita e pode ser feita de terça a sábado, das 10h às 20h, e Domingo, das 10h às 19h.


9 visualizações