top of page
Buscar

Chance de ver trabalho de Jô Sores pela última vez no Festival de Curitiba

Espetáculo "Gaslight - Uma Relação Tóxica", dirigido pelo genial humorista, é seu último trabalho no Teatro.

Gaslight | Foto: Priscila Prade

“O teatro é como um trapézio sem rede”. Assim Jô Soares (1938-2022) resumiu ao ator Giovani Tozi o ofício que os unia. Ambos tiveram a ideia de montar "Gaslight - Uma Relação Tóxica" assistindo ao filme “A Meia Luz”, de 1944, no cinema particular do diretor. “Comprei os direitos e Jô traduziu. Nas leituras, o Jô já foi dirigindo a peça. Veio a pandemia e a peça se tornou o elo que nos manteve ativos e próximos”, disse Tozi.

O texto original é um blockbuster da Broadway escrito por Patrick Hamilton em 1938. O título pode ser traduzido como manipulação, abuso emocional e violência psicológica. Ano passado, o dicionário Merriam-Webster elegeu gaslighting como “palavra do ano”.

“Eu não conhecia o termo, mas o Jô, aos 80 anos, estava conectado e notou que era um tema contemporâneo importante”, disse Tozi.

Despedida Gloriosa

Jô foi artista múltiplo com carreira notável na televisão, literatura e cinema, mas nunca escondeu que o teatro era sua paixão. Contracenou com Cacilda Becker, montou Shakespeare e Nélson Rodrigues e escreveu e dirigiu dezenas de peças.

Sua passagem anterior no Festival de Curitiba foi ruidosa. Em 2009, dirigiu “A Cabra ou Quem é Sylvia?”, de Edward Albee, com José Wilker e Denise Del Vecchio. A peça chocou e fez rir com a história do homem bem-sucedido cujo casamento sucumbe ao se apaixonar por uma cabra.

Quando foi levado ao hospital em agosto de 2022, Jô Soares participava ativamente dos ensaios e pesquisas de “Gaslight”. O grande artista morreu trabalhando, uma despedida gloriosa alguém da sua dimensão na arte brasileira. O espetáculo estará na Mostra Lucia Camargo, no Festival de Curitiba, nos dias 5 e 6 de abril, no Teatro Guaíra.

Para Tozi, "Gaslight - Uma Relação Tóxica" é a chance de ver seu trabalho vivo. “O público vai ver que tem muito do Jô Soares na peça, além de uma explícita homenagem que só quem assistir vai entender”.

Sala Jô Soares

Jô Soares é a inspiração do projeto que a designer de interiores Jordana Fraga criou para a antiga suíte presidencial do Hotel Mabu Business, o QG do Festival. A sala Jô Soares será o espaço de encontro da imprensa e formadores de opinião com os artistas do festival, no último andar do prédio, com vista ao Teatro Guaíra e ao prédio histórico da UFPR.

A Mostra Lucia Camargo no Festival de Curitiba é apresentada por Banco CNH Industrial e New Holland, Novozymes, Copel e Sanepar – Governo do Estado do Paraná, com patrocínio de EBANX, DaMagrinha 100% Integral, GRASP e ClearCorrect. Acompanhe todas as novidades e informações pelo site do Festival de Curitiba www.festivaldecuritiba.com.br, pelas redes sociais disponíveis no Facebook @fest.curitiba, pelo Instagram @festivaldecuritiba e pelo Twitter @Fest_curitiba. Ingressos disponíveis pelo site oficial e na bilheteria física no Shopping Mueller (Piso L3).


Serviço:

Gaslight – Uma Relação Tóxica Mostra Lucia Camargo - Festival de Curitiba Data e Horário: 5 e 6 de abril às 20h30. Local: Teatro Guaíra (Guairão) - Rua XV de Novembro, 971 - Centro Classificação: 12. Duração: 90' Ingressos: www.festivaldecuritiba.com.br e no Shopping Mueller (Piso L3). Valores: R$ 80 e R$ 40 (meia)


Informações: Sandro Moser - Agência de Notícias Festival de Curitiba



24 visualizações

Comments


bottom of page