top of page
Buscar

“Conta-te”, nova produção da Sociedade Poética, estreia neste mês em Curitiba

Escrita pela autora e diretora, Pagu Leal, a comédia traz 3 atrizes trazendo histórias sobre assédio moral. As apresentações estão gratuitas no Teatro Cleon Jacques, de 17 a 28 de abril. 

Atriz e Assistente de Produção, Ciliane Vendrusculo | Foto: Nando Porto

Estreia na segunda quinzena de abril (17 a 28), a primeira temporada gratuita do espetáculo “Conta-te” produzido pela Sociedade Poética, uma comédia que trata temas relacionados à mulher e como elas encaram o assédio moral no ambiente de trabalho, as apresentações serão no Teatro Cleon Jacques, em Curitiba. A peça conta com as atrizes Raquel Rizzo, Cleo Cavalcantty, Bia Sartoretto, três mulheres e artistas de diferentes idades que interpretam conflitos de geração e questionamentos sobre a profissão, a arte e o assédio, na montagem escrita e dirigida pela autora e produtora Pagu Leal. 


A ideia nasceu em conjunto com a  Procuradoria da Mulher de Curitiba e SATED Paraná, e trata principalmente das situações diárias de abuso moral; das “cantadas baratas” às expressões  chulas e “corriqueiras". Experiência vivida por todas as mulheres brasileiras.


A diretora do espetáculo, Pagu Leal | Foto: Nando Porto

Não importando idade, região ou classe social. Expressões de atitudes carregadas de preconceito de gênero e, que assim dizer, estruturam nossa sociedade. Segundo a autora Pagu Leal, a peça pode auxiliar muitas mulheres a reconhecer situações abusivas e fortalecer a auto narrativa, para que tenham a convicção de que suas impressões, ou incômodos, sejam realmente consideradas.


“A arte possibilita ampliar a percepção para questões que muitas vezes nem percebemos como abusivas, e no palco isso fica muito claro”, revela a autora e diretora.

Pagu conta ainda que a produção da Sociedade Poética nasceu da necessidade de criar um material didático, acessível e empático sobre assédio moral. “Situação enfrentada por muitas mulheres no Brasil e que compõem um lamentável traço cultural, em muitos casos “naturalizado”, das hierarquias de trabalho”, diz.


Atriz Raquel Rizzo | Foto: Nando Porto

Por meio da encenação, a peça dá uma nova abordagem ao tema em suas variações geracionais e atualizações éticas relacionadas às conquistas de direitos trabalhistas pelas mulheres. O espetáculo quer estimular a uma grande tomada de consciência sobre violência de gênero.


A autora desenvolveu ao longo de 2023 uma pesquisa baseada em conversas com setores e segmentos da sociedade, sindicatos e categorias profissionais sobre o tema. Para Pagu, a peça liberta a narrativa das mulheres, legitima seus sentimentos e acolhe suas dores.

“Foi o caso das classes artística teatral, da dança e com cantoras, buscando entender e desenvolver um projeto humano e sensível destacando a difícil decisão das vítimas de quando é hora de denunciar”, revela. 

O espetáculo fica em cartaz por duas semanas de 17 a 28 de abril: quarta a sexta, às 20 horas. Nos sábados, com duas sessões: às 16 horas, e no segundo horário às 20h, com intérprete em Libras. Já nos domingos as apresentações serão às 19h. 


Sobre Pagu Leal: Autora e diretora 

Há 30 anos em Curitiba a artista das Artes Cênicas, Pagu Leal já atuou em mais de 40 espetáculos profissionais como atriz. Ao longo de sua carreira, foi transformando a sua voz de atriz em uma voz autoral na dramaturgia e também como diretora artística. Em 2020 foi contemplada com o Prêmio Reconhecimento da Trajetória através da Lei Aldir Blanc.


Como dramaturga já teve diversos textos encenados , destaques para: 2021 “Do dia que Olhei no Espelho e Não me Encontrei”, 2011 “A Vênus das Peles” contemplado com o prêmio Myriam Muniz pela Funarte. “Difícil Amor”, contemplado pelo Troféu Poty Lazzarotto de Melhor Texto Teatral em 2004 e, “Que Absurdo!” texto selecionado no projeto: Dramaturgias Contemporâneas Brasileiras da Fundação Cultural de Curitiba. Teve seu próprio programa de humor na TV em 2011,"Coisas de Casal" na RPC TV, Globo Paraná, onde atuava e escrevia . Dentro das pesquisas em Filosofia tem se dedicado à Filosofia da Linguagem, com especial atenção aos estudos sobre Filosofia Analítica da Linguagem e Ética.


Atrizes do espetáculo | Foto Nando Porto

Sobre a Sociedade Poética

A Sociedade Poética nasceu em 2006 como consequência do desenvolvimento artístico e intelectual da atriz e autora Pagu Leal. E também, como possibilidade de escrever, produzir e incentivar produtos culturais relacionados à cultura poética de Curitiba e região metropolitana. Concomitante ao trabalho poético, autoral e teatral a Sociedade Poética também atua com profissionais das mais diferentes áreas através de cursos, atendimentos e workshops em Performance Comunicativa. Relacionando assim as práticas artísticas a conceitos filosóficos da oratória e argumentação, formação acadêmica da empreendedora Pagu Leal.


Serviço:

“CONTA-TE” 

Temporada: 17/04 à 28/04

(Quarta a sexta às 20h. Sábados às 16h e 20h - no segundo horário com intérprete em Libras. Domingos às 19h) 

Local: Teatro Cleon Jacques

Rua: Rua Mateus Leme, 4700 - São Lourenço - Curitiba, PR.

Entrada: Franca 

Duração: 1h20

Classificação: 14 anos 



Informações: BB Comunica - Bruna Bazzo

46 visualizações

Commentaires


bottom of page