top of page
Buscar

Festa Literária de Morretes é neste fim de semana

Quarta edição do FLIMO será de 25 a 27 de agosto, com programação inteiramente gratuita.

Morretes - Foto: Everson Mayer

De 25 a 27 de agosto, a cidade de Morretes recebe a quarta edição da FLIMO - Festa Literária de Morretes, reunindo uma programação gratuita voltada para todas as idades. Com encontros, discussões e experiências culturais diversas, o evento traz a literatura como carro chefe, promovendo mesas literárias, contando ainda com uma composição plural ao somar linguagens artísticas com apresentações musicais ao vivo e de teatro.


“Estamos muito felizes em retornar por mais uma edição à cidade de Morretes. A nossa programação tem atrações para todas as idades, com um segmento especial voltado ao público infantil, a Orelha. Há ainda apresentações musicais e mesas especiais com escritores de destaque nacional”, comenta Ana Hupfer, diretora da FLIMO.

Entre alguns dos destaques da programação, estão o escritor e roteirista Flávio de Souza, ganhador do Prêmio Jabuti de literatura infantil e criador e roteirista das séries Castelo Rá-Tim-Bum, Mundo da Lua e Sai de Baixo; e a escritora pernambucana Micheliny Verunschk, ganhadora dos prêmios Jabuti e Oceanos de 2022 pela obra “O Som do Rugido da Onça”; em debates que têm como tema norteador as relações da vida humana e da natureza com o tempo, bem como o seu tensionamento na sociedade líquida em que vivemos. As mesas literárias serão no sábado (26), no Instituto Mirtillo Trombini.

Flavio de Souza | Foto: Taki / Divulgação

Programação musical, Orelha e biblioteca sobre duas rodas


Na programação musical, apresentações de grupo e artistas regionais ocuparão o Coreto da Praça Central de Morretes, no horário do almoço, como da cantora, compositora e instrumentista Patricia Mar; do grupo Gaiapiá; o Gralha Blues Trio e o Fuá da Serra.


Na nova edição da Orelha, segmento voltado à infância, dois dias de programação intensa na Estação das Artes serão dedicados para toda a família, com oficinas, ateliê artístico, biblioteca livre, apresentações de teatro e música, contações de histórias e brincadeiras; além da apresentação do grupo carioca Os Tapetes Contadores de Histórias e o Baquetinhá, do grupo curitibano radicado em Morretes, Paquetá.


Por mais uma vez, a Bibiliobici passa pela cidade. A biblioteca sobre rodas, que visita as escolas da região com propostas de contação de histórias e mediação de leitura, é uma das ações educativas que ocorrem previamente ao evento, junto à rede municipal de ensino.


Festa Literária de Morretes deve reunir centenas de pessoas na cidade litorânea | Foto: Gloriosa Produções

A programação completa da FLIMO - Festa Literária de Morretes está disponível no site oficial do evento: https://www.flimo.com.br/


A 4ª edição da FLIMO – Festa Literária de Morretes é viabilizada por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura, com patrocínio da Rumo Logística e apoio institucional da Prefeitura Municipal de Morretes e do Instituto Mirtillo Trombini. A realização é da Gloriosa Produção Cultural e do Ministério da Cultura.

Confira a programação completa:

Conversas Literárias Data: 26 de agosto (sábado) Local: Instituto Mirtillo Trombini Largo Lamenha Lins, 66 – Centro 01 – O tempo da infância e do mundo Horário: 11h Com Flavio de Souza (São Paulo-SP) e mediação de Samara Rosa (Curitiba-PR)

ENTRADA GRATUITA

Assim como a natureza, a infância tem um tempo próprio. O tempo da descoberta, do deslumbramento, da tentativa e do erro. Crianças precisam ter tempo de descobrir o mundo pelas mãos, pelos seus sons e cheiros. O brincar livre é fundamental para aprender o mundo. E, quando falamos em Cultura Infância — aquela produzida por, para e com crianças —, precisamos investigar se o tempo necessário para cada etapa de construção da experiência está sendo contemplado. Como é o tempo da criança hoje? Como podemos falar de uma literatura e de uma produção artística para infância que dialogue com as crianças do nosso tempo?

Flavio de Souza – É escritor, tradutor e ilustrador de livros e tem mais de 60 livros publicados, entre eles Chapeuzinho Adormecida no País das Maravilhas – Prêmio Jabuti (2006); é autor de mais de 70 peças de teatro, como Fica Comigo Esta Noite – Prêmio Shell (1989); escreveu mais de 30 roteiros de cinema, entre eles Almas em Chamas (Prêmios no Festival de Gramado e Brasília); e criou e roteirizou várias séries para TV, como Castelo Rá-Tim-Bum, Mundo da Lua, Glub Glub e Sai de Baixo.

A literatura segue como carro chefe do evento, mas trará uma composição plural ao somar linguagens artísticas, como a música e o teatro | Foto: Gloriosa Produções

Samara Rosa – É mestranda em Educação na UFPR, contadora de história, professora na rede pública de Curitiba e bonequeira (confecciona bonecas negras de pano com sua família), atuando também como pesquisadora no grupo Erêya com foco nas Infâncias. Participou com apresentações de contação de histórias em diversos lançamentos de livros, entre eles do finalista do Jabuti 2022, "Mesma Nova História".

02 – O tempo da juventude e as histórias contadas Horário: 15h

Com Kenni Rogers (Marechal Cândido Rondon-PR) e Marcel Malê (Curitiba-PR); e mediação de Gisele Eberspächer ​​(Curitiba-PR)

ENTRADA GRATUITA

Quais histórias estamos contando e quais histórias vão permanecer? A internet ampliou os espaços de fala, mas quem realmente está ouvindo? Enquanto ainda é urgente o resgate e o registro passado das histórias de um Brasil que não está no retrato, de tantas e tantos de nós, há uma literatura do presente sendo produzida. A juventude busca espaços de expressão, a partir das oralidades e das escritas, do slam, da música e da internet. Dos centros às periferias, em quilombos, terras indígenas e nas cidades do interior. Em tempos de uma sociedade líquida, quais histórias ficarão registradas?

Kenni Rogers – É ator, diretor, arte-educador, mediador de leitura e agitador cultural. Atua em ações de literatura e teatro com jovens da quebrada. Realizou mais de 250 rodas de leitura e contação de histórias. É diretor da Trupe Periferia e idealizador da Mostra Literatura Paraná, ações realizadas na periferia de Curitiba.. Seu livro “Quando era mato, tudo” está disponível online. Como ator, se apresentou em 20 estados brasileiros e atuou em curtas, longas, web séries e pilotos de série.

Marcel Malê – É artista da cena, mestre em Artes (Unespar) e doutorando em História (UFPR), pesquisador e mediador de leitura. Como ator, participou do elenco de reativação do Teatro de Comédia do Paraná (TCP); do longa-metragem “Estômago”, de Marcos Jorge; de “Circular”, de Diego Florentino, com o qual foi premiado como melhor ator no 7º FestCine Goiânia; e da série “Irmandade”, produzida pela O2 Filmes para a Netflix. Em 2019 realizou a performance [escrevedor de histórias] em 6 comunidades quilombolas do Paraná, que virou uma publicação impressa — que terá seu lançamento durante a FLIMO.

Gisele Eberspächer – É formada em jornalismo e é mestre e doutoranda em Estudos Literários pela Universidade Federal do Paraná. É tradutora do alemão e do inglês, já tendo traduzido autores como Elfriede Jelinek, Thomas Bernhard e Ingeborg Bachmann. É crítica literária desde 2012, tanto no Jornal Rascunho quanto no canal “Vamos falar sobre livros?” no YouTube.

03 – O tempo em fricção de Micheliny Verunschk Horário: 19h Com Micheliny Verunschk (Recife - PE) e mediação de Vanessa C. Rodrigues ​​(Curitiba-PR)

ENTRADA GRATUITA

Pernambucana radicada em São Paulo, Micheliny Verunschk tem uma carreira premiada na literatura, com uma prosa que busca refletir sobre as bases entranhadas na formação do Brasil enquanto nação. Desafiando e tensionando a linearidade do tempo em sua ficção, a escritora coloca passado, presente e futuro em constante fricção, sujeitos e suas narrativas em confronto. Em consonância com a discussão estabelecida nesta edição, esta conversa tem como tema a carreira e obra de Micheliny Verunschk.

Micheliny Verunschk – É escritora, historiadora e poeta. Escreveu, entre outros Geografia Íntima do Deserto (Landy, 2003), Nossa Teresa – Vida e morte de uma santa suicida, ganhador do prêmio São Paulo de 2015, O movimento dos pássaros (Martelo, 2020), ganhador do prêmio Biblioteca Nacional de 2021, O som do rugido da onça (Companhia das Letras, 2021), ganhador dos prêmios Jabuti e Oceanos de 2022. É autora ainda de Desmoronamentos (Martelo, 2022) e do recém lançado Caminhando com os mortos (2023).

Vanessa C. Rodrigues – É escritora, ensaísta, editora e pesquisadora de literatura brasileira, formada em Letras pela UFPR e mestre em Estudos de Linguagens pela UTFPR. Publicou os livros de poemas Noturno e cinza, o fotolivro Corpo outro, e o romance Anunciação, este com duas edições, a mais recente pela editora Arte & Letra, em 2021. Colabora no Jornal Rascunho escrevendo ensaios sobre literatura, com os quais ganhou o Prêmio Samuel Benchimol de melhor livro de ensaios do Prêmio Cidade de Manaus em 2022.

Apresentaçõe Musicais

Palco de música e poética de grupos e artistas de Morretes e região.

Data: 26 e 27 de agosto (sábado e domingo) Local: Coreto de Morretes (Coreto Sinibaldo Trombini) Praça dos Imigrantes

ENTRADA GRATUITA

Sábado (26 de agosto):

01 – Show de Patrícia Mar Horário: 12h

Patrícia Mar – É cantora, compositora e instrumentista. Suas canções são enredadas pela natureza fora e dentro de nós, e resgatam o encanto pela vida e suas nuances. Mora há quatro anos em Morretes e tem se apresentado em vários lugares do Brasil, onde também oferece vivências de expressão vocal e música circular.

02 – Show de GaiaPiá Horário: 13h30 GaiaPiá – É um movimento que busca uma reconexão com a essência da vida. O grupo vê como sua missão “resgatar o elo sagrado com a Natureza viva e retornar ao espírito de criança". Com uma batida forte no pulso do Reggae, a música do grupo tem também influência dos ritmos latino-americanos e toda boa sonoridade de raiz.

Domingo (27 de agosto):

03 – Show de Gralha Blues Trio Horário: 12h Gralha Blue Trio – A banda homenageia o pássaro símbolo do Paraná, pois estão sempre entre idas e vindas na Serra do Mar. Com seu som potente e dançante, apresentam clássicos do Blues e músicas brasileiras influenciadas pelo estilo. O set conta com músicas de Aretha Franklin, Koko Taylor, Muddy Waters, Rita Lee, Gilberto Gil, Ray Charles e outros, além de muita improvisação.

04 – Show de Fuá da Serra Horário: 13h30

Fuá da Serra – Fuá é festa popular, encontros de ritmos do povo, mistura boa que só brasileiro sabe fazer. No repertório, uma mistura de musicalidades nordestinas que colocam todo mundo pra dançar, como coco, samba de roda e forró, a apresentação é animada e reflete as raízes brasileiras das festas populares.

Ocupação Literária Data: 27 de agosto (domingo) Local: Instituto Mirtillo Trombini Largo Lamenha Lins, 66 – Centro ENTRADA GRATUITA


01 – Ocupação Coletivo Oceânica Horário: 14h às 16h

Ocupação literária, com Biblioteca Nômade, exposição, varal literário e lançamento de livros.

Oficinas Literárias

Data: 25 e 26 de agosto Local: Casa Rocha Pombo Largo José Pereira Andrade, S/N ENTRADA GRATUITA 01 – Oficina Literária – Corpo, Voz e Poética, com Kenni Rogers Data: 25 de agosto Horário: 14 às 18h Mostra de resultados: 26 de agosto (sábado)

Inscrições prévias: https://forms.gle/roM5k6atbeZnxF157 Voltada para jovens de 15 a 17 anos, a oficina tem como objetivo criar um espaço de criação e prática para a expressão artística. Com exercícios de escrita e prática de declamação, os participantes serão estimulados a trabalhar a força da presença e a colocar o corpo e a voz a favor de suas ideias e poesias. Ao final, os participantes serão convidados aapresentar o resultado da oficina durante a programação da FLIMO.

ORELHA – Programação infantil da FLIMO Data: 25 e 26 de agosto (sábado e domingo) Local: Estação das Artes Rua Visconde do Rio Branco, 30 – Centro ENTRADA GRATUITA

01 – Oficinas artísticas, biblioteca itinerante, brincadeiras e ateliê gráfico Horário: 10h às 17h (26 e 27/08) Voltada para crianças de todas as idades, a programação infantil da FLIMO será formada de diversas ações culturais e artísticas desenvolvidas por equipe educativa do projeto. O processo de construção da programação deste espaço é coletivo, feito em conjunto com a equipe contratada na cidade. As crianças estão convidadas a participar de todas as propostas, com participação livre e gratuita, durante todo o período do evento.

02 – Contação de histórias Com Mundo Mágico da Leitura – UFPR Data: 26 de agosto (sábado) Horários: 10h, 11h e 14h. ENTRADA GRATUITA

Em uma parceria com a UFPR Litoral, serão realizadas contações de histórias e oficinas desenvolvidas a partir dessas narrativas. O Mundo Mágico da Leitura é um programa de extensão que completa 15 anos em 2023 e atua na pesquisa sobre o desenvolvimento da leitura e do letramento nas escolas.

03 – Histórias do mar: Navegando entre as histórias do Basil e da África Com Samara Rosa – Paraná Data: 26 de agosto (Sábado) Horário: 16h ENTRADA GRATUITA

Por meio de contos da tradição oral, a Sereia angolana Kianda (boneca) será a disparadora das histórias dos encantamentos das sereias Negras. Um convite para ouvir histórias entre Brasil e África, como também, brincadeiras cantadas e narradas.

Samara Rosa – É mestranda em Educação na UFPR, contadora de história, professora na rede pública de Curitiba e bonequeira (confecciona bonecas negras de pano com sua família), atuando também como pesquisadora no grupo Erêya com foco nas Infâncias.

04 – História de Quem Anda Pelo Mundo Com Os Tapetes Contadores de Histórias – Rio de Janeiro

Data: 27 de agosto (domingo) Horário: 11h ENTRADA GRATUITA

Dois contadores de histórias escutam muitas histórias em suas errâncias pelo mundo. E assim costuram e bordam as aventuras, peripécias e poesias que os encantam. Os Tapetes Contadores de Histórias narram contos e os encantamentos de histórias de várias partes do mundo. Com as palavras e mãos, seus lindos tapetes e painéis de tecido ganham vida a cada momento da história contada.

Os Tapetes Contadores de Histórias – Desde 1998, o grupo Os Tapetes Contadores de Histórias produz sessões de histórias, espetáculos, oficinas e exposições interativas a fim de despertar o gosto das crianças e jovens pelas artes e pela leitura. O grupo do Rio de Janeiro cria e se utiliza de tapetes, malas, aventais, caixas e livros de pano como cenários de contos autorais e populares de origens diversas.

05 – Baquetinhá Com Grupo Baquetá – Paraná Data: 27 de agosto (domingo) Horário: 16h ENTRADA GRATUITA

Baquetinhá, batucada, brincadeira, criançada! A menina que tocando o baque olhou pra baqueta e pensou: Baquetá! Chamou seu bando, "bora brincar!" Tinha baque virado, tinha baque solto, Tinha baque? Tinha! Ser criança é uma folia! Baquetinhá é um festejo cênico e musical que passeia por diferentes histórias e musicalidades afro-brasileiras, africanas e indígenas. Da Congada da Lapa do Paraná ao fandango do Litoral, brincam caiçaras e pés-vermelhos. Brincar é viver o presente, construir laços e redescobrir memórias.

Baquetá – O grupo nasceu na cidade de Curitiba, em 2009, e hoje tem sua sede em Morretes. Pesquisa e desenvolve projetos para adultos e crianças com base nos saberes da diáspora africana e dos povos originários do Brasil. O grupo já lançou três discos, dentre eles o EP Baquetinhá.


Serviço:

4ª FLIMO - Festa Literária de Morretes Data: 25 a 27 de agosto Gratuito

Redes Sociais: Instagram - @flimofestival | Facebook - @flimofestival

Realização: Gloriosa Produção Cultural Patrocínio: Rumo Logística Informações: www.flimo.com.br


Informações: Maximilian Santos

7 visualizações

Comentários


bottom of page