Buscar

Memorial inaugurado no São Lourenço homenageia João Turin

O Memorial Paranista João Turin, inaugurado simbolicamente no fim de 2020, agora está aberto a visitação em Curitiba.

Escultura de João Turin, no Parque São Lourenço | Foto: Toca Cultural

No espaço, localizado junto ao Parque São Lourenço, o visitante confere uma exposição permanente, rica em informações sobre o artista João Turin (1878-1949), que se destacou principalmente como escultor, criando obras sobre animais selvagens, povos indígenas e reproduções de momentos históricos.


O legado que Turin deixou para a cultura do Paraná é inestimável. Para esta iniciativa, que tem coordenação geral da Prefeitura de Curitiba, foram reunidas quase 100 obras de Turin. Das 15 esculturas ampliadas, 12 foram adquiridas pela Prefeitura, e as outras 3 foram doadas pela Companhia Paranaense de Energia (Copel), por meio da Lei Rouanet.


78 esculturas em tamanho original foram doadas pela Família Lago para o Governo do Estado do Paraná, que emprestou as obras à Prefeitura de Curitiba em regime de comodato. A Família Lago também doou uma fundição elétrica e moderna ao memorial, substituindo uma antiga fundição existente no local, que estava obsoleta.


"Marumbi" tem quase 3 metros de altura | Foto: Toca Cultural

O Memorial Paranista João Turin foi projetado por Guilherme Klock, arquiteto do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc). Na parte externa, foi construído um jardim com 15 esculturas de bronze ampliadas. Duas delas ganharam proporções heroicas, como “Marumbi”, com quase 3 metros de altura e 700 quilos. Esta escultura representa com realismo a luta de duas onças e mostra porque João Turin também é lembrado como um dos mais importantes escultores animalistas do Brasil.


Obras de João Turin estão em exposição no jardim | Foto: Toca Cultural

Outro destaque é uma Pietá em baixo relevo, gentilmente emprestada pela Família Lago, detentora dos direitos autorais de João Turin. Esta é uma obra de 1917, e o primeiro exemplar está na França, feito para a Igreja de Saint Martin, em Condé-sur-Noireau. É uma verdadeira relíquia, que resistiu aos bombardeios da Segunda Guerra Mundial.


Em quase 50 anos de carreira, João Turin deixou mais de 400 obras. Há esculturas em locais públicos de municípios paranaenses, no Rio de Janeiro e até na França.


Sobre João Turin


Nascido em 1878 em Morretes, no litoral do Paraná, João Turin veio ainda garoto para a capital Curitiba, iniciando seus estudos em artes, chegando a ser professor. Especializou-se em escultura na Bélgica. Retornou ao Brasil em 1922, trazendo comentários elogiosos da imprensa francesa. Foi premiado no salão de Belas Artes do Rio de Janeiro em 1944 e 1947.


O artista faleceu em 1949 e deixou um acervo completo de moldes em gesso, como a obra "As Quatro Estações", que foi reproduzida posteriormente em bronze e retocada pelo escultor Erbo Stenzel.

Exposição no MON, em 2014 | Foto: Toca Cultural

Em junho de 2014, seu legado foi prestigiado pelas 266 mil pessoas que visitaram “João Turin – Vida, Obra, Arte”, a exposição mais visitada da história do Museu Oscar Niemeyer, em Curitiba, que ficou em cartaz por 8 meses. Esta exposição também teve uma versão condensada, exibida em 2015 no Museu Nacional de Belas Artes, no Rio de Janeiro, e na Pinacoteca de São Paulo.


Serviço

Memorial Paranista - João Turin

R. Mateus Leme, 4700 - São Lourenço, Curitiba - PR

Horário de visitação: Não informado

23 visualizações