top of page
Buscar

Shows e rodas de choro gratuitas acontecem esta semana em Curitiba

Sesi Cultura Paraná realiza a 8ª edição do Festival É No Choro Que Eu Vou.

Até 23 de setembro, o "Festival É No Choro Que Eu Vou" traz na programação curitibana uma série de apresentações gratuitas, com músicos daqui e convidados. Com realização do Sesi Cultura Paraná, serão cinco shows e duas rodas de choro.

No dia 21, o bandolinista Daniel Migliavacca encontra o clarinetista Caetano Brasil, num duo inusitado com o objetivo de explorar a sonoridade dos instrumentos individualmente e sobretudo, juntos. Passeando por um repertório dedicado ao Choro, o duo apresenta clássicos de mestres como Pixinguinha e Jacob do Bandolim, além de homenagear o mestre do cavaquinho Waldir Azevedo, que completaria 100 anos em 2023. O duo apresenta, também, algumas composições próprias.

No dia 22, é a vez de Julião Boêmio fazer uma homenagem ao centenário de Waldir Azevedo. Para isso, o convidado especial é o músico, cavaquinista e compositor carioca Jayme Vignoli, grande mestre do choro e principal responsável pela inovação que fora retirar o cavaquinho do papel exclusivo de instrumento acompanhador e projetá-lo à um lugar de destaque. Neste show, Julião será acompanhado por músicos representativos da cultura paranaense: Vinícius Chamorro (violão), Renan Bragatto (acordeom) e Ricardo Salmazo (percussão).


Na manhã de sábado, 23, o Centro Cultural Sesi Heitor Stockler de França recebe o Choro Cruzado e Osmário Estevam Júnior, para homenagear Candinho Trombone, que é autor de O Nó e Soluçando, grandes clássicos nas rodas de choro. Porém, a dimensão de sua obra atinge uma quantidade muito maior de composições que por pouco não se perderam no tempo.


O grupo Choro Cruzado teve início em 2021, a partir da reunião de amigos e músicos experientes, durante o período de isolamento social, por meio de videochamadas em busca de um repertório organizado para a formação, que é a tradicional de um regional de choro: nos sopros, há flauta (Marcela Zanette) e clarinete (Rodrigo Milek), responsáveis pelo desenho da melodia; nas cordas, violão de 7 cordas (Luiz Ivanqui), trabalhando os bordões e a baixaria, e o cavaquinho (Victor Romero), garantindo centro harmônico e variações rítmicas; por fim, o pandeiro (Gabriela Bruel), mantendo a marcação, o andamento, e trazendo o característico swing de suas platinelas.


Ainda no dia 23, no mesmo palco, ocorre o show do Conjunto Choro e Seresta, grupo de choro mais tradicional e mais importante de Curitiba, estando em atuação há 50 anos, com a tradicional apresentação aos domingos na feirinha do Largo da Ordem. Ao mesmo tempo que é considerado um núcleo de referência musical de choro na cidade, o Conjunto é um cartão postal da capital paranaense, consagrado no circuito musical curitibano e frequentado por amantes do gênero, músicos e turistas.


A programação de sábado ainda conta com um bazar, que começa às 10h, e rodas de choro, contando com os artistas que se apresentam nesta data e músicos convidados. Ao longo do dia ainda haverá venda de comes e bebes.


SERVIÇO:

Sesi Cultura Paraná apresenta Festival É No Choro Que Eu Vou

  • 21/09, quinta-feira, 20h - Daniel Migliavacca convida Caetano Brasil

  • 22/09, sexta-feira, 20h - Julião Boêmio convida Jayme Vignoli - Uma Homenagem a Waldir Azevedo

Local das apresentações dos dias 21 e 22/09: Centro Cultural Sistema FIEP- Unidade Dr. Celso Charuri – Rua Paula Gomes, 270 - São Francisco, Curitiba

  • 23/09, sábado:

10h – início do Bazar

11h – Choro Cruzado e Osmário Estevam Júnior Homenagem a Candinho Trombone

13h – Roda de Choro – Elas são do Barulho

16h – Roda de Choro – Choro de Sábado

19h – Conjunto Choro e Seresta


Local da programação de sábado: Centro Cultural Sesi Heitor Stockler de França - Avenida Marechal Floriano Peixoto, 458 - Centro

** Entrada franca em todas as atrações

Informações: Gisele Passos

8 visualizações

Commentaires


bottom of page