top of page
Buscar

Sucesso desde os anos 80, A-Ha encerra turnê brasileira em Curitiba com espetáculo inesquecível

Banda norueguesa movimentou Arena da Baixada com público animado nesta segunda-feira.

Grandes sucessos da banda atravessam gerações | (Klym Fotografia)

Como parte da comemoração dos 35 anos (agora 37) do lançamento do álbum ‘Hunting High And Low’, a banda A-Ha encerrou nesta segunda-feira sua turnê pelo Brasil. A série de shows estava marcada para 2020, porém a pandemia mudou todos os planos e adiou a viagem do grupo ao nosso país.


A turnê começou no Recife no último dia 13 de julho e, desde então passou por Salvador, São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte. Curitiba ficou para o final, aliás, diga-se de passagem, um “Grand finale”.


A noite estava perfeita, céu estrelado e sem chuva, nem muito frio (sim, porque essa mudança climática às vezes incomoda um pouco os curitibanos). No palco, o setlist da banda reuniu um repertório repleto de sucessos, de “Crying in the Rain”, passando por “Hunting High And Low” a tão esperada “Take On Me”, que fechou a apresentação com fãs emocionados, muitos aplausos e calorosos pedidos de bis.


Confira os melhores momentos:


Morten Harket, Magne Furuholmen e Påul Waaktaar vieram acompanhados de uma banda formada por outros três músicos, que deram um show de performance - em especial, destaque para a bateria.


Relatos:

O A-Ha trouxe músicas que fizeram o público viajar no tempo, como conta a empresária Patrícia, que sentiu, por alguns instantes, como se voltasse a 1985, no auge de seus 15 anos.

“Estávamos muito ansiosos para esse show, desde que anunciaram a turnê no Brasil, antes da pandemia. Mas valeu a espera, é muito bom estar aqui hoje e viver tudo isso”, relatou.

Quem, também estava na plateia era o jornalista e líder da banda curitibana Delorean, Luigi Poniwass. O artista, acostumado com o repertório oitentista, estava realizado.


Luigi Poniwass (Delorean) e Gilbert (Candyman Club)

"Foi de lavar a alma! Nunca tinha visto um show do A-ha 'presencialmente' - nem quando eles tocaram em 2015, em Curitiba, porque exatamente naquela noite eu também tinha show com a DeLorean.


Sabia, por ter visto apresentações recentes na TV ou em vídeos no YouTube, que eles continuam na ponta dos cascos, soando como no início do carreira, mesmo com todos eles beirando os 60 anos. Mas vê-los de perto é outra coisa!"


Luigi comenta que pelo fato dos sucessos da banda norueguesa terem atravessado gerações, o público presente na Arena foi bem diversificado, de jovens a pessoas de mais idade. O jornalista também elogiou performance dos músicos. Confira o relato:


"Morten Harket, o vocalista, que hoje tem 62 anos, não perdeu um milímetro da voz, e mantém aquele timbre macio, que acaricia os ouvidos - e o mesmo alcance de quando era jovem. O mesmo vale para a performance dos outros dois, o guitarrista (e principal compositor da banda) Paul Waaktaar e o tecladista Magnus Furuholmen. Sem falar nos excelentes músicos de apoio. Claro que o show tem aquele clima de nostalgia, são sucessos gigantescos dos anos 80. Mas para mim não pareceu datado. Tanto é que tinha muita criança, vários jovens, e eles também parecem ter gostado muito. Acho que vê-los de perto aumentou ainda mais a nossa responsabilidade quando tocamos A-ha!"
A-Ha reúne 9 mil na Arena em Curitiba | Foto: Klym Fotografia

Entorno:

O show começou exatamente às nove horas da noite. Ao redor do Estádio, durante todo período da apresentação, ambulantes vendendo camisetas, copos e lembranças do show, faturaram com as vendas dos souvenires. Tudo muito organizado e seguro! (Consegui até estacionar o carro em frente ao estádio, sem qualquer problema, cobrança, ou abordagem inconveniente).

Fila organizada para entrar no Estádio do Athlético | Foto: Klym Fotografia

A vinda de “Hunting High And Low” ao Brasil foi uma realização da Move Concerts, com produção em Curitiba da RW7, a quem agradecemos pelo convite para cobertura.


Curiosidades:

A-ha é um grupo de synth-pop norueguês formado em 1982 em Oslo, pelo guitarrista Paul Waaktaar-Savoy, o tecladista Magne Furuhomen e o vocalista Morten Harket. O primeiro grande sucesso da banda veio em 1985 com o álbum de estreia "Hunting High and Low".

Morten Harket, vocalista do A-hA | Klym Fotografia

O disco alcançou o primeiro lugar nas paradas de sucesso da Noruega, segundo lugar no Reino Unido e 15º na Billboard dos Estados Unidos. Os principais destaques foram os singles "Take On Me" e "The Sun Always Shines on TV", que também conquistaram o topo das paradas e renderam uma indicação ao Grammy na categoria Melhor Artista Revelação.


A banda lançou discos em 1986, 1988 e 1990, com singles de sucesso incluindo "Hunting High and Low", "The Living Daylights", "Stay on These Roads" e "Crying in the Rain".


Em 1994, depois que o quinto álbum do grupo, "Memorial Beach" (1993), não alcançou o sucesso esperado, a banda entrou em hiato por tempo indeterminado.


Depois de realizar uma apresentação na Cerimônia do Prêmio Nobel da Paz, em 1998, A-ha gravou o seu sexto álbum de estúdio, "Minor Earth Major Sky", lançado nos anos 2000 e que conquistou o primeiro lugar das paradas na Noruega e Alemanha. O álbum foi sucedido por"Lifelines" (2002); "Analogue" (2005); e "Foot of the Mountain" (2009).


Em outubro de 2009, a banda anunciou que iria se separar depois da turnê Ending on a High Note, programada para 2010. Milhares de fãs de pelo menos 40 países espalhados pelos seis continentes do planeta se reuniram para assistir o A-ha ao vivo pela última vez.


Foi somente no final de 2014 que a banda anunciou que participaria do Rock in Rio 2015, para celebrar os 30 anos da banda e do festival. Em 2015, o A-ha voltou às atividades oficialmente e lançou seu décimo álbum, "Cast in Steel" e saiu em turnê para divulgar o álbum.


Até hoje, o A-ha é a banda norueguesa de maior sucesso da história do país. No auge do sucesso, em meados dos anos 80, o grupo conquistou o topo das paradas em diversos países, como Reino Unido, Estados Unidos, Alemanha, França e Brasil.


O clipe de "Take On Me" é considerado, até hoje, um dos mais marcantes da década de 80. Em fevereiro de 2020, o clipe alcançou a marca de um bilhão de visualizações no Youtube. Até aquele momento, somente quatro músicas lançadas no século XX tinham conquistado essa marca: "November Rain" e "Sweet Child O'Mine" do Guns n' Roses, "Smells Like Teen Spirit" do Nirvana e "Bohemian Rhapsody" do Queen. "Take On Me" se tornou a quinta música a conquistar essa marca.


O grupo também conquistou um recorde mundial em 1991 com o maior público pagante em um show, com 198 mil pessoas o Estádio do Maracanã no Rio de Janeiro. (Fonte: Assessoria)

707 visualizações
bottom of page