top of page
Buscar

Zé Geraldo e Francis Rosa lançam ‘O Poeta e o Violeiro’

Com a participação especial de Xangai, Ricardo Vignini e Guito, álbum ganha edição em vinil e CD.

Zé Geraldo e Francis Rosa, durante a gravação do clipe “O Poeta e o Violeiro” (Foto: Daniel Pereira)

Na última semana foi lançado nas plataformas digitais “O Poeta e o Violeiro”, álbum que celebra o encontro de Zé Geraldo e Francis Rosa. Com edição primorosa também em vinil e CD, o disco tem a participação especial de Xangai, Ricardo Vignini e Guito.


A canção “O Poeta e o Violeiro” abre o álbum com a declamação de Xangai e segue com Zé e Francis cantando versos quase autobiográficos dessa parceria.


“Era uma vez um poeta nascido em solo mineiro / Caminhando pela vida, cruzou com um violeiro / Um completou o outro feito a casa e o terreiro / Plantando e colhendo amor / Saíram do interior pra correr o mundo inteiro”, cantam o poeta e o violeiro que, em 2016, gravaram seu primeiro trabalho juntos, no DVD ao vivo “Cantos e Versos” (Sol do Meio Dia/ Tratore).


Xangai também participa do clipe “O Poeta e o Violeiro", lançado com o primeiro single do álbum nos canais do YouTube de Zé Geraldo e de Francis Rosa.



O álbum reúne 11 canções, com destaque para inéditas de Zé e Francis entre composições de artistas da potente música regional brasileira como Márcio de Camillo, Rodrigo Sater, João Ormond, Paulo Simões e Juraildes da Cruz. No LP, por motivos técnicos, foi necessário cortar uma música.

“Foi uma decisão difícil! Escolhemos ‘Cantador’, que tem uma pegada mais rock. Mas gostamos tanto dessa música, que daremos destaque a ela nas plataformas digitais”, comentam Zé e Francis.

CAPA: O Poeta e o Violeiro

Escrita pelo sul mato-grossense Guga Borba, "Cantador'', assim como o poeta Zé Geraldo e o violeiro Francis Rosa, está no limiar entre a roça e a cidade, o rock e a música caipira, a viola e a guitarra. Agraciada pela sanfona de Daniel Blando, é a canção que melhor representa “Um Pé no Mato e Um Pé no Rock” no disco.


Antes da projeção nacional com o papel do peão Tibério, da novela Pantanal, o mineiro Guito já era próximo de Zé Geraldo e conhecido de seu público, tendo participado de seus shows. Agora, Guito participa do álbum do amigo com a composição “Quero Te Ouvir Cantar”, parceria com Asger Lound Johnsen, além de tocar serrote e dividir os vocais com Zé e Francis.


Outro convidado especial é o músico Ricardo Vignini, em “Sempre Bate Uma Saudade”, também lançada como single para anunciar “O Poeta e o Violeiro”. Como Zé e Francis gostam de falar, “Sempre Bate Uma Saudade” é um “blues chamamé tocado na viola”, que mescla o rasqueado da região pantaneira ao sentimento blues desenhado pela viola dobro de Ricardo Vignini. É uma narrativa poética e nostálgica da vida de um estradeiro; de quem, guiado sempre pela música, tem o coração como bússola. Vivência que compartilham Zé e Francis, assim como os autores da canção, João Ormond e Paulo Simões.


Além de Zé Geraldo (voz), Francis Rosa (voz, viola caipira e baixo) e dos convidados Xangai (declamação), Ricardo Vignini (viola dobro) e Guito (voz e serrote), o álbum “O Poeta e o Violeiro” tem os toques de Rafael Schimidt (violão de nylon), Juninho Serafranny (baixo), Vinícius Cardoso (baixo), Feijão Brow (piano e teclados), Daniel Blando (sanfona), Rogério Romera (violino, viola clássica e arranjo de cordas), Rafael Henrique (violoncelo), João Lima (percussão), Gel Oliveira (percussão), Matheus Pedroso Ruíz (bateria e percussão), e os vocais de Bia Tucci, Helena Badari, Nô Stopa e Tata Fernandes.


“O Poeta e o Violeiro" é um lançamento da Sol do Meio Dia com distribuição da Ingrooves.


Mais sobre o poeta e o violeiro


Zé Geraldo, nascido em Rodeiro, na Zona da Mata mineira, e criado em Governador Valadares, no Vale do Rio Doce, caiu na estrada cedo. Roqueiro da roça, o cantor e compositor construiu e consolidou sua carreira longe dos grandes holofotes da mídia e conta com um público fiel, que amplifica seus versos e lota os shows por onde passa. Hoje, aos 77 anos, contando mais de 40 anos de estrada, 19 álbuns e 3 DVDs lançados, além de coletâneas, participações e compactos, Zé Geraldo é bússola para uma nova geração de artistas. Canções como “Cidadão”, “Como Diria Dylan”, “Senhorita”, “Rio Doce” e “Milho aos Pombos”, indispensáveis no repertório de seus shows, fazem parte da história da música brasileira.


Francis Rosa, nascido em Joanópolis, na Serra da Mantiqueira, em São Paulo, tem a viola caipira como principal base para suas composições. Violeiro, cantor e compositor, traz em seu repertório canções que traduzem seu amor e respeito pelas coisas simples da vida. Com 10 discos lançados, sendo 2 ao vivo, já se apresentou nos mais diversos eventos como praças, auditórios, teatros e manifestações culturais. Suas apresentações remetem os espectadores a um clima bucólico comumente vivido nas rodas de violas em frente a tantas fogueiras nos terreirões deste país.


Informações: Adriana Bueno



15 visualizações
bottom of page