top of page
Buscar

Museu de História Natural Capão da Imbuia ganha espaço dedicado à preservação da vida marinha

No próximo dia 01 de dezembro, o Projeto Meros do Brasil inaugura estande destinado à preservação dos meros e da vida marinha no Museu de História Natural Capão da Imbuia, tradicional espaço de zoologia em Curitiba.

Museu de História Natural Capão da Imbuia (Divulgação)

Espécie ameaçada de extinção, o mero, nome científico Epinephelus itajara, é um peixe marinho da família Epinephelidae, a mesma de outras grandes garoupas como chernes e badejos. Presente em grande parte da costa brasileira, o mero chega a viver 40 anos e a pesar até 400kg.


Por sua imponência, pelo risco de extinção e importância para o ecossistema marinho, o mero tornou-se em 2002 a primeira espécie de peixe a receber uma moratória específica que estabeleceu a proibição da captura, transporte e comercialização no Brasil. Para promover a conservação dos meros e dos ambientes costeiros-marinhos, o Projeto Meros do Brasil, presente em nove estados do país desde 2018, agora lança um espaço de visitação interativo em Curitiba.


Patrocinado pela Petrobras por meio do Programa Petrobras Socioambiental, o Projeto Meros inaugura no próximo dia 01 de dezembro, no Museu de História Natural Capão da Imbuia, um espaço de visitação com informações dedicadas à espécie, onde o público poderá participar de atividades educacionais e de uma interação virtual com os meros e a vida marinha. Com entrada franca, a visitação será aberta ao público a partir do dia 02 de dezembro.


Para o coordenador do Projeto Meros no Paraná, Dr. Matheus Freitas, a inauguração do espaço significa um grande passo na consolidação da parceria com o Museu de História Natural e a Prefeitura Municipal de Curitiba. “Para todos que participam do Projeto Meros do Brasil é uma grande satisfação ter uma das instituições mais antigas de pesquisa e divulgação científica do Paraná dando apoio às nossas ações”, comemora Matheus.


Interação e realidade virtual

Entre os destaques do novo espaço estão uma exposição com as ações de educação ambiental e pesquisa do Projeto Meros, totens interativos como a roda do ciclo de vida do peixe, o jogo da memória “Meromória” e uma intervenção artística inédita: uma réplica de um mero de metal em tamanho real, confeccionado pelo artista plástico Marcelo Pszybylski.

Os visitantes também terão acesso a uma experiência virtual em 3D, desenvolvida por alunos do curso de jogos virtuais do Instituto Federal do Paraná (IFPR), que recria um dos ambientes marinhos que os meros habitam, os costões rochosos. Nessa atração os visitantes poderão experimentar a sensação de um mergulho contemplativo com o mero e outras espécies como águas-vivas, pirajicas, tartarugas, algas e corais.

Sobre o Meros do Brasil


Criado em 2002 em Santa Catarina, o Projeto Meros do Brasil está presente em nove estados da costa do Brasil (Pará, Pernambuco, Alagoas, Bahia, Espírito Santo, Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná e Santa Catarina). O Projeto tem o objetivo de garantir a conservação dos ecossistemas marinhos e desta que é considerada a maior espécie de garoupa do Oceano Atlântico.


Atualmente as ações do Projeto estão voltadas para a conservação da sociobiodiversidade através da pesquisa científica, educação, comunicação e da arte, e buscam envolver as comunidades locais, valorizando o seu conhecimento, e toda a sociedade, promovendo equidade de gênero, inclusão racial e de pessoas com deficiência.


Cobrindo aproximadamente 1.500 quilômetros da costa brasileira, por meio da atuação em rede, as ações do Projeto Meros do Brasil levam em conta as particularidades de cada território, e são executadas de forma colaborativa entre as equipes de todos os estados.


Sobre o Museu de História Natural Capão da Imbuia


Em funcionamento desde 1963, seu acervo reúne centenárias coleções científicas de insetos, peixes, ectoparasitas, mamíferos, répteis e anfíbios e invertebrados (não insetos), o Museu de História Natural Capão da Imbuia é reconhecido nacionalmente pela qualidade do seu trabalho na área da pesquisa zoológica, abrangendo diferentes grupos de animais.


Suas coleções são de interesse de pesquisadores brasileiros e estrangeiros, tanto para consulta de dados e revisões dos organismos vivos, como para depósito de material zoológico, proveniente de atividades científicas. O Museu também trabalha no estudo das espécies ameaçadas de extinção e no cadastramento das espécies que compõem o ecossistema urbano de Curitiba, tanto terrestre quanto aquático.


SERVIÇO:

Inauguração do espaço Projeto Meros do Brasil no Museu de História Natural Capão da Imbuia - Evento para imprensa e convidados


Data: Quinta-feira, 01 de dezembro de 2022

Horário: 11h

Local: Museu de História Natural Capão da Imbuia

Endereço: Rua Benedito Conceição nº 407 (entrada principal) X Rua Nivaldo Braga


Aberto ao público a partir do dia 02 de dezembro

Horário de visitação: terça a domingo das 9h às 16h45

Agendamentos de visitas guiadas para escolas: (41) 3313-5481

Entrada franca


Informações: Zelig Digital

15 visualizações

Comentários


bottom of page