Ranking | Os melhores do Metal 2015

Por: Paulo Sérgio de Oliveira Borges
Contato: paulo.o.borges@icloud.com

Esta semana apresento-lhes o resultado de um árduo desafio; de elencar os melhores álbuns de metal de 2015. De início imaginei que seria fácil, mas depois de horas e horas de audições, anotações, pesquisas, e mais audições, percebi o quão penoso seria, criar um ranking. Tanto, que só agora, em pleno mês de março, que consegui terminar de ouvir os álbuns e concluir o trabalho.

 

Eis o resultado:

10º LUGAR

LAMB OF GOD – VII: Sturm Und Drang

 

Esse álbum foi uma grande surpresa, pois há tempos não ouvia nada sobre eles, e o que mais me chamou a atenção são os riffs de guitarra potentes e a bateria bem conduzida. Faixas em destaque: “Erase This” e “Overlord

8º LUGAR

ENSLAVED – In Times

 

A bateria de "Nauthir Bleeding", quarta música do álbum, não tem como não chamar a atenção de quem curte um bumbo duplo bem aplicado, só em momentos de real destaque da música. Recomendo.

6º LUGAR

MARILYN MANSON – The Pale Emperor

 

Talvez o mais versátil de todos dessa lista, esse álbum explora vários elementos que dão peso e uma pitada de sarcasmo às suas músicas. Ele é pesado, mesmo soando leve. Prova disso são as faixas “Killing Strangers”, “Birds of Hell Awaiting” e “cupid Carries a Gun”.

4º LUGAR

NAPALM DEATH – Apex Predator – Easy Meat

 

Esse é álbum é impactante desde a Capa, que apresenta uma dessas bandejas de mercado com cérebro humano, como se fosse um corte qualquer de carne. É Grindcore puro (aliás, foi o baterista deles quem inventou o termo). Pura violência gratuita. Brutalidade extrema. Simplesmente fudido!

VENOM – From the Very Depths

 

Quem conhece esse álbum tem que concordar comigo. Ele é agressivo e maduro, pesado e inteligente. O nome disso é maturidade musical. E não poderia ser diferente, afinal, eles são pioneiros do death metal. Ouça a faixa título, e “Crucified”, e tire suas conclusões.

2º LUGAR

9º LUGAR

CRADLE OF FILTH – Hammer of The Witches

 

Outra banda que há muito não ouvia, e que que surpreendeu pela evolução sonora em relação há uns quinze anos atrás, com bumbos duplos bem aplicados e vocal versátil. Merecem destaque, “Blackest Magic in Pratice” e a faixa título;

PARADISE LOST – The Plage Within

 

Trata-se de um álbum com uma ambientação musical caótica, perceptível já na primeira faixa, “No Hope In Sight”, e que se estende até a lenta “Return to the Sun”, que o fecha com um sentimento de agonia bem interessante.

7º LUGAR

IRON MAIDEN – The Book of Souls

 

Apesar de ser o Iron, esse não é um álbum daqueles que você já sai gostando desde a primeira “escutada”. E não sou o único com essa impressão. Várias pessoas me reportaram a mesma coisa, até que repentinamente você já está cantando “Speed of Light” e “Death or Glory”.

5º LUGAR

KRISIUN – Forged in Fury

 

Do Rio Grande para o mundo! Forged in Fury é um dos álbuns mais pesados e concisos do trio gaúcho. Muito bem produzido e mixado, é até difícil de descrevê-lo de tão bom. O destaque vai para a “Milonga de la Muerte”, faixa que homenageia a terra natal da banda.

3º LUGAR

SLAYER – Repentless

 

Sucesso desde o primeiro single, esse álbum já nasceu grandioso, e mostra que a escolha de Gary Holt para suprir a lacuna deixada pelo insubstituível Jeff Hanneman foi acertada, tanto para o palco para o estúdio.

 

A faixa título é puro peso e inteligência musical, enquanto que “Cast the First Stone” tem uma ambientação tão macabra, que chega a arrepiar.

 

- Os riffs de guitarra são rápidos, precisos e impressionantes;

 

- A bateria é rápida sem parecer infantil, e com o bumbo duplo muito bem aplicado;

 

- O baixo é muito pesado, e a performance vocal irretocável.

 

Jeff Hanneman certamente ficaria orgulhoso desse álbum.

1º LUGAR

Menções Honrosas

- Coma Ecliptic – Between the Buried & Me

- High on Fire – Lumniferous

- Children of Night – Tribulation

- Cattle Decaptation – The Anthropocene Extinction

- Disturbed – Immortalized

- Children od Bodom – I Worship Chaos

O que esperar de 2016...

 

Megadeth e Anthrax abriram 2016 com metal de qualidade, e esperamos ansiosos pelo novo álbum do Testament, mas o que mais me empolga é o novo álbum do AMON AMARTH, que sai em 25 de março.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O review do novo álbum do Amon Amarth, é assunto para um próximo artigo (aqui). \m/