Buscar

Mostra apresenta o resultado final dos processos criativos de 14 artistas na Casa Hoffmann


Curitiba recebe, de 7 a 10 de dezembro, na Casa Hoffmann (R. Dr. Claudino dos Santos, 58 - São Francisco), a 14ª edição do LAB_, com 14 artistas de diversas áreas como teatro, dança, performance, música e artes plásticas. As apresentações serão de quinta a domingo, às 20h e a entrada é franca.

O evento faz parte do IMP, núcleo de pesquisa em dança, voltado ao estudo do movimento. É a Investigação do Movimento Particular, que existe desde 2007 sob a orientação da bailarina pesquisadora Juliana Adur e produção de Cindy Napoli. Tem como objetivo proporcionar à cidade um ambiente de pesquisa estimulante pautado essencialmente na experiência. Trata-se de adquirir saberes através do corpo e do movimento a partir de uma construção coletiva de interesses, porém acolhendo as particularidades de mover e criar de cada pesquisador.

Até hoje, o IMP já realizou 30 produções em dança contemporânea (individuais e coletivas), somando mais de 50 apresentações em Curitiba e em outros municípios.

Comemorando 10 anos de existência em 2017, o projeto ofertou 14 bolsas para novos criadores e teve a participação de vários profissionais da dança de Curitiba que atuaram como ministrantes de oficina, orientadores e interlocutores dos processos criativos. Os profissionais que compuseram a equipe da Edição 2017 do IMP foram: Yiuki Doi, Janaína Matter, Pedro Almeida e Renata Roel. Gabriel Machado e Maíra Lour, que foram integrantes do IMP desde seu surgimento, integram hoje a equipe principal do projeto, também, como orientadores. Os bolsistas passaram por 5 meses de atividades de formação e laboratórios de investigação e 3 meses para o desenvolvimento de seus projetos de criação em dança.

Sobre o IMP

Inicialmente o IMP foi proposto no formato de um workshop de 20 dias na Casa Hoffmann – centro de estudos do movimento, para logo em seguida ser acolhido como um núcleo de pesquisa permanente em dança no Vila Arte Espaço de Dança, onde permaneceu até 2015.

Em todos esses anos de trabalho, muitas pessoas passaram pelo núcleo e pelo Vila Arte, muitas ações foram realizadas, muitas descobertas foram compartilhadas e muita dança foi impulsionada. O projeto participou na formação dediversos artistas criadores, que hoje dão a cara das atuais produções artísticas de Curitiba. No total foram 7 edições anuais do núcleo, mais de 50 IMPistas, 13 LAB_s (mostras de compartilhamentos dos processos criativos), oficinas, residências, entre outras ações tão diversas que só o dia-a-dia do IMP é capaz de revelar.

#imp #casahoffmann #JulianaAdur

0 visualização